EnglishPortugueseSpanish

Desde o começo da pandemia de Covid-19, e as subsequentes medidas de isolamento para contê-la, muitos museus ao redor do mundo tiveram que fechar as portas e promover visitas virtuais para manter sua função de espalhar conhecimento.  Nesse front, a realidade aumentada tem sido uma arma poderosa de imersão, utilizada em diversas iniciativas.

Nos Estados Unidos, a operadora de telefonia Verizon está disponibilizando parte do acervo dos museus Smithsonian para alunos, professores e pais que estão tendo que se virar com o ensino remoto. O projeto Virtual Museum do Smithsonian Open Access utiliza realidade aumentada e áudio narrado como forma de levar aos estudantes conteúdo educacional adicional.

publicidade

“Quer as crianças tenham voltado para a sala de aula ou estejam aprendendo remotamente, precisamos pensar em novas maneiras como a tecnologia pode ajudá-los”, afirma a vice-presidente de desenvolvimento de tecnologia e 5G Labs da Verizon, Sanyogita Shamsunder. “Ativar o Smithsonian Open Access é um grande passo em direção a experiências imersivas, interativas e remotas”. 

Smithsonian/Reprodução

Código QR do mamute Wolly. Se quiser testar a experiência, basta escaneá-lo. Imagem: Smithsonian/Reprodução

Até agora, o projeto possui exposições sobre a história dos Estados Unidos, espaço, invenções, artes e arquitetura e animais extintos. Apesar de estar todo em inglês, o conteúdo e acessível a qualquer usuário, basta ler os códigos QR no site do museu virtual com seu smartphone e abrir os links. Você pode clicar em “see it in your space” no canto superior direito da tela para ligar a câmera.

A empresa quer ampliar essas experiências, e está oferecendo US$ 10 mil a desenvolvedores e criadores de conteúdo para novos projetos que ajudem a construir mais maneiras de aprender e interagir com museus online. Usando objetos de coleção digitalizados 2D e 3D do Smithsonian, as equipes selecionadas poderão testar seus aplicativos nos laboratórios 5G da Verizon.

Via: CNet