Categoras: Notícias

PF utilizará drones para inibir crimes nas eleições deste ano

A Polícia Federal utilizará drones para auxiliar nas fiscalizações durante os dias de eleições deste ano. Os cem equipamentos terão como objetivo inibir a boca de urna, bem como outros crimes eleitorais nas datas de pleito. A ajuda da tecnologia deve otimizar e dar mais agilidade aos trabalhos dos agentes nas principais zonas eleitorais brasileiras.

As cem Aeronaves Remotamente Pilotadas são classificadas pela PF como estratégicas em todo o território nacional. Segundo a corporação, o aparato também ajudará na identificação de possíveis iniciativas de transporte ilegal de eleitores, além de outras infrações neste sentido.

“Diante de algum flagrante de crime eleitoral, policiais se deslocarão imediatamente para o local indicado visando prender os suspeitos, que serão conduzidos a uma delegacia, onde serão tomadas as providências pertinentes”, explicou a Polícia Federal.

Expectativa é que a utilização de drones ajude a inibir crimes eleitorais no pleito 2020. Créditos: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Os drones também serão importantes considerando a recomendação de distanciamento social por conta da pandemia causada pela Covid-19. Isto porque, com a ajuda dos dispositivos inteligentes, será possível deslocar menos policiais para circular nas ruas, resultando em menos presença física e contato social.

“Com isso, a instituição [Polícia Federal] visa cumprir seu mister constitucional de polícia judiciária eleitoral e mostrar que está preparada para combater crimes eleitorais, garantindo um pleito seguro para que os cidadãos possam exercer o seu direito de sufrágio dentro da legalidade”, finalizou.

Capacidade dos drones

De acordo com o G1, os equipamentos estarão presentes em todos os estados do Brasil. Durante a operação, os drones poderão voar até 120 metros de altura e realizar uma varredura completa de seis quilômetros de área monitorada. O dispositivo tem outra vantagem que deverá fazer toda diferença durante as fiscalizações: zoom de até 180 vezes. Desta forma, será possível identificar ações suspeitas, além de pessoas, placas de carros, entrega de santinhos, situações de compra de votos e outros possíveis crimes, com imagens de alta nitidez. 

O diretor-geral da PF, Rolando Alexandre, disse que “os drones serão colocados nas zonas eleitorais previamente identificadas como mais problemáticas de modo a auxiliar e evitar alguns crimes como boca de urna e compra de voto”.

Fonte: Agência Brasil

Esta post foi modificado pela última vez em 28 de outubro de 2020 14:14

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Leticia Riente