EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Um tuíte do ex-primeiro-ministro da Malásia, Mahathir Mohamad, foi removido pelo Twitter por conter traços de glorificação da violência, o que é proibido pelos termos de uso da plataforma. Mohamad publicou uma série de posts se referindo a ataques ocorridos na França nos últimos dias, inclusive o desta quinta-feira (29) que deixou três mortos na cidade de Nice. Em um dos tuítes, o ex-primeiro-ministro afirmou que “os muçulmanos têm o direito de ficar com raiva e matar milhões de franceses pelos massacres do passado”.

O post ficou ativo na rede social por mais de três horas. Inicialmente, usuários recebiam apenas um aviso de que o conteúdo do tuíte violava as regras da plataforma, mas que ainda estava disponível por ser de interesse público. Depois de remover a publicação, o Twitter ainda optou por deixar o resto da sequência, que foi começada com a frase “respeite os outros”, em letras maiúsculas.

publicidade

Reprodução

Ex-primeiro-ministro da Malásia teve tuíte excluído depois de dizer que muçulmanos têm direito de ter raiva e matar residentes da França. Créditos: Abdul Razak Latif/Shutterstock

publicidade

Durante suas manifestações, Mohamad referiu-se a um ataque terrorista ocorrido em Paris no início deste mês, onde um professor foi decapitado por supostamente ter violado crenças religiosas. Neste sentido, o ex-primeiro-ministro ainda destacou que matar alguém “não é um ato que eu aprovaria como muçulmano”, mas, em seguida, ele lembrou que injustiças históricas ao povo muçulmano por parte dos franceses poderia justificar tal ato.

O secretário de Estado da economia digital da França, Cedric O, se manifestou contrário as opiniões de Mohamad e também pediu para que a rede social suspendesse a conta do ex-líder da Malásia. “Do contrário, o Twitter seria cúmplice de um pedido formal de assassinato”, disse.

Por meio de porta-voz, o Twitter afirmou que o tuíte foi removido por violar a política contra glorificação da violência. Cabe destacar que esta política impede que os usuários compartilhem conteúdo que incite ameaças violentas contra indivíduo ou qualquer grupo de pessoas. Esta diretriz deve ser cumprida independentemente do contexto da publicação.

Já Mohamad não foi encontrado para comentar a exclusão da postagem.

Autoridades mundiais no Twitter

Não é de agora que o Twitter tem removido tuítes de várias autoridades mundiais. As publicações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, têm sido as mais afetadas. Em maio, a rede social adicionou um alerta à publicação do governante onde ele indicava que os militares estavam do lado do governador de Minnesota, Tim Walz, caso houvesse “alguma dificuldade” em controlar os manifestantes do caso George Floyd, que foi morto por um policial. O aviso indicava incitação à violência.

Já em agosto, a polêmica com o presidente americano veio por conta de um post que violava regras de integridade cívica e eleitoral. O tuíte era uma crítica ao uso de caixas de correio como meio seguro de votação para as eleições presidenciais americanas deste ano. No começo do mês passado, ainda motivado pelas eleições presidenciais, Trump postou um vídeo animado dedicado à sua campanha à reeleição, onde de fundo é tocada a música “Eletric Avenue”, do cantor e compositor britânico Eddy Grant. O artista se sentiu prejudicado, processou o presidente e o Twitter removeu a animação da plataforma.

Fonte: CNet