O pacotão de serviços de assinatura da Apple será lançado nesta sexta-feira (30), garantiu diretor financeiro da empresa, Luca Maestri, em entrevista à Bloomberg Television. O Apple One reúne Apple Music, Apple TV Plus, Apple Arcade e armazenamento na nuvem pelo iCloud em um único pagamento.

O pacote tem diferentes categorias. A mais básica é a individual, com preço sugerido de US$ 14,95 por mês, com acesso ao Music, Arcade, TV+ e 50 GB no iCloud, voltado para uma única pessoa. Já o pacote familiar, por US$ 19,95 ao mês, traz as mesmas vantagens, mas para mais pessoas e mais espaço no iCloud: 200 GB. No Brasil, os pacotes custarão, respectivamente, R$ 26,50 e R$ 37,90.

publicidade

Por fim, o pacote mais avançado, chamado de “Premier”, traz todas as vantagens dos planos anteriores, mas com o adicional do serviço de notícias (News Plus) e exercícios (Fitness Plus) e 2 TB de armazenamento por um valor de US$ 30. A plataforma de exercícios oferecerá novas aulas semanalmente, com integração com o Apple Watch – porém, só deve entrar no ar nas próximas semanas. 

Apple/Reprodução

Os planos do Apple One que serão oferecidos no Brasil e seus preços. Imagem: Apple/Reprodução

Os planos são bastante vantajosos para quem já mergulhou de cabeça no ecossistema da Apple, já que, separadamente, as assinaturas são muito mais caras do que apenas um pacote com todas elas inclusas. Todos os serviços da categoria mais alta custariam, individualmente, US$ 55 por mês.

Apesar do Apple One estar disponível em mais de 100 países, os pacotes “Premier” só serão oferecidos nos Estados Unidos, Reino Unido, Canadá e Austrália. A expectativa é que os pacotes aumentem a adesão dos usuários aos serviços digitais da companhia, e, por consequência, gerem receita.

A unificação da oferta de alguns serviços pode ser interpretada como uma estratégia da Apple para se tornar mais competitiva em determinados segmentos. Em junho de 2019, o Apple Music contabilizava 60 milhões de usuários pagos em todo o mundo, enquanto o Spotify já ultrapassava a marca de 100 milhões. Atualmente, os serviços digitais da Apple movimentam US$ 50 bilhões por ano na empresa.

Via: 9to5mac/The Verge