EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Difícil imagina qual a graça de trapacear num jogo. Ainda mais em “Among Us“, cuja graça é justamente a suspeita e o trabalho em conjunto entre os jogadores, e não ganhar superpoderes através de um hack ou receber mensagens privilegiadas dos jogadores que morreram direto do além-túmulo (também conhecido como “chat do Discord“).

Para inibir os trapaceiros, a desenvolvedora Innersloth anunciou que está trabalhando em um sistema de contas para o jogo. Isso ajudaria a reduzir esse tipo de comportamento. “Isso permitirá que os jogadores relatem contas que são tóxicas ou hackers”, disse o estúdio, que espera que até dezembro tudo esteja resolvido.

publicidade

O estúdio disse que não está se apressando em novos esforços para combater a trapaça porque foi o que fez da última vez e não saiu exatamente como planejado. “Haverá mais atualizações de servidor para consertar tudo isso, mas apressar medidas anti-hacks causou muitos bugs, então a limpeza é um processo mais lento”.

Innersloth/Divulgação

publicidade

Voto anônimo poderá contribuir com a dinâmica de suspeita do jogo. Imagem: Innersloth/Divulgação

As novidades fazem parte de um pacote de alterações que incluiu ainda a opção de votação anônima. Quando habilitada, todos os votos aparecerão na cor cinza para que os jogadores não saibam quem votou em quem. Também foi adicionada a capacidade de mudar o funcionamento da barra de tarefas, que agora pode estar sempre habilitada, atualizar apenas durante as reuniões ou permanecer invisível.

Há uma nova adição a uma das ações que o impostor pode realizar: a sabotagem dos comunicadores agora limpa os registros de segurança, tornando um pouco mais complicado para os tripulantes rastrearem uns aos outros.

“Lembre-se de que esta não é a extensão total de nossos planos. Temos muitas coisas que estamos planejando e ainda não estamos prontos para compartilhar”, afirmou a Innersloth.

Via: PC Gamer