A Apple está enfrentando escassez de chips usados no sistema de gerenciamento de energia (PMIC – Power Management IC) do iPhone 12. Segundo a MSN, citando “pessoas com conhecimento do assunto”, uma maior demanda por chips em uma ampla gama de produtos e interrupções na cadeia de suprimentos causadas pela Covid-19 são as principais causas do problema.

Um desmonte do iPhone 12 feito pela equipe da iFixIt revela que neste modelo os chips usados no sistema de gerenciamento de energia são produzidos pela norte-americana Texas Instruments (na alimentação da câmera e recarga da bateria) e pela europeia STMicroelectronics. (gerenciamento geral e recarga sem fios). Curiosamente, o iPhone 11 usava um chip próprio da Apple, o APL1092.

publicidade

Reprodução

Desmonte do iPhone 12. Escassez de chips pode causar falta dos aparelhos no mercado. Foto: DuanRui/ Reprodução

Ainda não está claro o quanto a falta de componentes pode afetar a disponibilidade dos novos iPhones no fim do ano, mas a Apple parece estar se preparando para o pior. De acordo com o AppleInsider, a empresa encomendou aos seus fornecedores mais de 20 mihões de unidades do iPhone 11 e iPhone XR, modelos mais antigos que continuam no catálogo da empresa, e do iPhone SE, um modelo de baixo custo lançado neste ano.

O pedido seria de 10 milhões de unidades do iPhone 11, mais 10 milhões do iPhone SE e uma quantidade “não especificada” do iPhone XR. A estratégia é não deixar os consumidores que desejam um iPhone sem opções, mesmo que o modeo mais recente não esteja disponível.

Segundo um analista do Nikkei Asian Report, “o pedidos dos modelos antigos são realmente melhores que o esperado”. Outro analista afirmou que “o ritmo de vendas do iPhone 11 é surpreendentemente forte, e parece contínuo”.

Fonte: MSN / Apple Insider