A Ubisoft confirmou que está investigando um possível vazamento do código-fonte de um dos seus lançamentos de 2020: Watch Dogs Legion. Teme-se que os hackers consigam retirar as proteções antipirataria do jogo, tornando-o mais fácil de ser instalado sem a compra.

O vazamento teria ocorrido em um ataque às redes internas da Crytek e da Ubisoft. Eles foram comandados por um grupo de hackers chamado Egregor. A ação levou ao vazamento de informações sobre o desenvolvimento de novos jogos da série Crysis. A proximidade de tempo entre os fatos sustenta a ideia de que os arquivos de Watch Dogs Legion também foram obtidos nesta ação.

publicidade

De acordo com o portal DSOgaming, a dimensão total do arquivo de código-fonte do jogo pode chegar a 560 GB, e é possível que sua liberação na internet resulte, principalmente, na produção de mods para o jogo.

Reprodução

A  divulgação do código-fonte do jogo pode gerar o desenvolvimento de MOD’s ou mesmo levar à pirataria do jogo. Foto: Pexels/ Pixabay

Além disso, há também o risco de o jogo ser pirateado com mais facilidade, caso os arquivos não possuam travas antipirataria, ou estas sejam de fácil retirada por parte de agentes mal-intencionados. Até agora, no entanto, o game não recebeu uma quebra deste sistema protetivo, o que leva a crer que mesmo o acesso ao código não foi suficiente para rodá-lo de maneira ilegal.         

A Ubisoft se pronunciou por meio de um porta-voz, que confirmou o potencial vazamento do código-fonte. “Estamos cientes da reclamação do grupo e atualmente estamos investigando um potencial incidente de segurança de dados”, afirmou.                

Por mais que o vazamento possa acarretar somente na criação de mods para o jogo oficial, desenvolvedores consideram perigoso que o código-fonte de um jogo esteja exposto na internet, de maneira pública. Primeiramente por se tratar de uma propriedade intelectual, e em seguida por expor potenciais informações sigilosas de desenvolvimento do jogo, como partes protegidas da engine.

Fonte: Eurogamer