EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O aplicativo Citysocializer promoveu uma mudança em seu modelo de negócios em meio a pandemia do novo coronavírus. De acordo com executivos da startup, a situação de lockdown em que boa parte da população mundial se encontrava necessitou que o app de eventos presenciais repensasse sua posição no mercado.

Desde seu lançamento, o Citysocializer ganhou popularidade em diversos países, como o Canadá, Reino Unido e os Estados Unidos. Sua função era organizar e promover eventos nas cidades, como festas, conferências e diversos outros encontros físicos com um grande número de pessoas.

publicidade

No entanto, a chegada da pandemia do novo coronavírus e a urgência de quarentenas em massa nos países de grande aceitação do aplicativo colocaram sua existência em risco. Foi necessária uma reinvenção do modelo de negócios da plataforma para que um novo caminho para a sua popularidade fosse achado.

A saída encontrada pelos gestores da plataforma foi apostar nos eventos virtuais. Dar suporte para aulas, workshops, palestras, convenções e diversos outros eventos a distância foi o modelo que evitou a queda brusca de interações de usuários com o Citysocializer.

publicidade

 

Reprodução

Eventos presenciais estão suspensos em diversas cidades por conta do coronavírus. Foto: crystal710/Pixabay


Salvação da indústria de eventos

Para a CEO da startup, Sanchita Saha, a descoberta de um novo modelo de atendimento aos usuários foi além de salvar o app: alavancou a procura pela plataforma e ajudou a indústria de eventos a continuar se financiando.

“Permitir que os trabalhadores dessas indústrias monetizem suas habilidades e talentos hospedando seus próprios eventos virtuais para um público cativo que está preso em casa é uma situação em que todos ganham”, confirmou.

Saha também ressalta que os eventos online ajudaram outros mercados, como de chefs de cozinha, atores, especialistas na preparação de coquetéis e drinks, e diversas outras funções afetadas pela impossibilidade de aglomeração.

“Temos uma rede social e uma peça da comunidade que gira em torno dos eventos, que já estão participando ativamente de eventos virtuais, aulas e workshops e convidando suas redes de amigos no Citysocializer para se juntarem a eles também. Por causa disso, também há reservas de repetição mais altas. Se alguém participa de um evento uma vez e gosta dele, facilitamos (e é provável que ele participe) de eventos futuros. Os anfitriões podem criar seguidores para seus eventos na comunidade.”, completou.

Fonte: TechCrunch