Campainha da Ring pega fogo, machuca oito pessoas e sofre recall nos EUA

Na noite de terça-feira (10), a Ring anunciou o recall de cerca de 350 mil campainhas inteligentes nos Estados Unidos após 23 relatos de que algumas delas pegaram fogo. Há relatos de danos leves à propriedade e oito pessoas tiveram queimaduras leves. A empresa é de propriedade da Amazon.

Segundo a CPSC (sigla em inglês para Comissão de Segurança de Produtos de Consumo dos EUA), os dispositivos apresentam risco potencial de incêndio relacionado à bateria. No aviso emitido, é apontado que a campainha pode superaquecer quando são usados parafusos incorretos na instalação.

De acordo com o órgão, 85 relatos de incidentes foram recebidos de pessoas que utilizaram parafusos incorretos. “Os consumidores devem parar imediatamente de instalar as campainhas de vídeo em recall”, diz. O recall contempla o modelo Ring Video Doorbell (2ª geração). Usuários podem confirmar se o modelo utilizado é compatível no site ou app da empresa.

Dispositivo da Ring pode ser usado para ver quem bate na porta de usuários e vigilância doméstica. Imagem: Ring/Reprodução

A Ring, em comunicado, informou que vem trabalhando em conjunto com o CPSC e que tem entrado em contato com os clientes que compraram o dispositivo “para garantir que receberam o manual do usuário atualizado e seguir as instruções de instalação do dispositivo”.

Preocupações sobre vigilância

O modelo de campainha inteligente em questão foi vendido de junho de 2020 até outubro pelo preço aproximado de US$ 100, cerca de R$ 539 em conversão direta. Ele é produzido na China e importado pela Ring, que tem sede nos Estados Unidos. O recall também abrange as cerca de 8.700 unidades vendidas no Canadá.

Os dispositivos da Ring, como o Ring Video Doorbell (2ª geração), possuem uma câmera para segurança doméstica. Ela pode monitorar varandas e a parte da frente das casas, sendo controlada por um aplicativo.

Os dispositivos da Ring têm enfrentado problemas quanto à segurança e privacidade de usuários. Já foram emitidas diversas complicações de segurança de dados no passado, além de considerações quanto ao uso deles para projetos de vigilância.

Esta post foi modificado pela última vez em 11 de novembro de 2020 14:50

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Wellington Arruda