EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Polícia Federal Italiana (Polizia di Stato) usou uma Lamborghini Huracán, um supercarro capaz de chegar a mais de 320 km por hora, para salvar uma vida, transportando um rim que seria usado em um transplante.

O órgão saiu de Pádua, no norte da Itália, e foi levado até Roma, no centro do país. A distância de quase 500 km, que normalmente é completada em seis horas por “meros mortais”, foi percorrida em apenas duas horas.

publicidade

O feito foi comemorado no perfil da Polizia di Stato no Twitter, que comentou: “Para salvar uma vida você não precisa de superpoderes. Mas solidariedade, tecnologia e eficiência ajudam”.

A Huracán (“furacão”, em espanhol) foi lançada em 2014 pela montadora italiana Automobili Lamborghini, como sucessora da Lamborghini Gallardo. A versão usada pela polícia italiana é um modelo especial, chamado “Huracán LP 610-4 Polizia”, criado para substituir as duas Gallardo que eram usadas anteriormente, destruídas durante operações policiais. Os veículos foram doados pela Lamborghini à polícia.

publicidade

O carro usado no transporte do rim entrou na força policial em 2017. Além da pintura especial e sirenes, ele tem um sistema de vídeo com tela no centro do painel e câmera próxima do espelho retrovisor, computador, equipamento de gravação de áudio e vídeo, rádio policial, bagageiro frontal refrigerado (projetado justamente para o transporte de órgãos) e desfibrilador.

Faça você mesmo

Uma Lamborghini Huracán modelo 2020 custa a bagatela de US$ 260 mil (R$ 1,4 milhões), mas quem não tem todo esse dinheiro pode economizar um bocado se optar por “fazer sua própria”. Foi o que o físico norte-americano Sterling Backus e seu filho de 10 anos decidiram fazer, usando uma impressora 3D.

O Axas Interceptor é baseado na Lamborghini Aventador, mas o visual em preto lembra um batmóvel. Foto: Sterling Backus / Reprodução

Batizado de AXAS Interceptor o veículo é baseado em outra Lamborghini, a Aventador, e é composto por centenas de painéis impressos em 3D, reforçados com fibra de carbono e kevlar, montados sobre um chassis de metal que abriga um motor real. Até mesmo os faróis, lanternas, saídas de ar e outras partes internas foram impressas em 3D, consumindo mais de 220 bobinas de filamento termoplástico.

Mais de US$ 20 mil (quase R$ 110 mil) foram investidos no projeto, cujo progresso é documentado em uma série de vídeos no YouTube.

Foto: Wolfgang Moroder / Wikimedia Commons (CC-BY-SA 3.0)