Tesla faz recall de 9,5 mil carros devido a dois problemas de fabricação

Um recall feito pela Tesla nos Estados Unidos impacta cerca de 9,5 mil veículos da empresa, devido a dois problemas de fabricação. Segundo a empresa, o friso no teto dos veículos não foi devidamente fixado, e pode acabar se separando do carro quando o motorista o estiver dirigindo. Do outro lado, parafusos próximos ao volante não foram devidamente apertados.

Do volume de veículos convocados, pouco mais de 9,1 mil referem-se à linha Model X de 2016. Segundo as autoridades de trânsito, o friso do teto deveria ser afixado somente após o uso de um primer adesivo, o que não foi feito neste caso. A consequência disso é a possível separação do friso na parte frontal e traseira do teto.

A situação não é ruim para o motorista em si, pois ele próprio não perceberia o defeito, mas poderia trazer problemas a veículos que viessem atrás dele: um pedaço que sai voando do carro à sua frente poderia fazer com que você adotasse manobras perigosas, resultando em acidentes.

Recall do Model X (foto) busca consertar problema que pode resultar na separação do friso do teto do automóvel. Imagem: Tesla/Divulgação

Segundo a Tesla, a empresa ficou sabendo de um evento do tipo em setembro de 2020, prontamente lançando uma investigação para avaliar a possibilidade de frequência com a qual isso poderia ocorrer e qual seria a principal causa. Com o recall, a Tesla vai conduzir testes de retenção da parte afetada e, caso os veículos inspecionados falhem, separar o friso manualmente, aplicar o adesivo e recolocar a parte removida.

Parafusos soltos

O outro recall feito pela empresa envolve os parafusos que fixam partes do volante de direção. Segundo as autoridades viárias, 401 veículos da linha Model Y (ano 2020) apresentam parafusos que não foram devidamente apertados no braço superior e na empunhadura do volante. Por causa disso, uma parte pode acabar se soltando da outra.

Novamente, a Tesla descobriu o caso após três incidentes de manutenção dos veículos onde tal separação teria ocorrido. A empresa vai conduzir os testes necessários e, caso preciso, vai apertar os parafusos em questão.

Segundo a montadora, não houve relato de nenhum acidente envolvendo ambos os problemas.

Fonte: Reuters

Esta post foi modificado pela última vez em 25 de novembro de 2020 15:03

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Rafael Arbulu