EnglishPortugueseSpanish

A Purism, companhia conhecida por prezar pela privacidade dos usuários, começou a enviar as primeiras unidades do smartphone Librem 5 para os compradores. Segundo o CEO e fundador da empresa, Todd Weaver, foi preciso muito esforço e alguns anos de desenvolvimento até que o gadget enfim estivesse pronto.

O que motivou a criação do dispositivo, segundo Todd, foi o desejo de parte dos consumidores por uma alternativa ao Android e ao iOS, algo que na prática ainda não está disponível em larga escala no segmento de smartphones. Para isso, foi necessário juntar um time de desenvolvedores e especialistas para criar uma plataforma viável e segura em pouco tempo.

publicidade

Imagem: Purism/DivulgaçãoSegurança e privacidade são os principais quesitos de destaque do Librem 5. Imagem: Purism/Divulgação

O dispositivo só conseguiu sair do papel graças ao sucesso de uma campanha de financiamento coletivo, que arrecadou mais de US$ 2 milhões para o projeto. A principal diferença do Librem 5, se comparado aos smartphones mais populares, fica por conta do software e do hardware trabalharem em conjunto para protegerem os dados pessoais dos usuários. Por isso, o gadget não roda nenhuma versão modificada do Android, mas sim o PureOS, um sistema operacional diferenciado desenvolvido pela própria fabricante.

Construção modular

Outra diferença em relação aos dispositivos tradicionais, é sua construção com componentes modulares. Peças como a placa de rede Wi-Fi ou a bateria de 4.500 mAh, por exemplo, podem ser substituídas pelo usuário final sem grandes dificuldades. O processamento fica por conta de um chip de quatro núcleos, o gagdet possui 3 GB de memória RAM e conta com 32 GB de espaço de armazenamento interno.

O Librem 5 também possui botões físicos dedicados a desativar qualquer tipo de compartilhamento de dados por meio de redes móveis, Wi-Fi ou Bluetooth. Os sensores de câmera de 8 e 13 megapixels e os microfones do dispositivo, também podem ser desativados a qualquer momento apertando um botão. Por fim, um modo chamado de ‘lockdown mode’, desabilita outros sensores do aparelho, como o GPS e o acelerômetro.

publicidade

Imagem: Purism/DivulgaçãoBotões físicos na lateral do aparelho desativam diferentes sensores do dispositivo. Imagem: Purism/Divulgação

Sistema baseado em Linux

Aliado ao hardware com diversas funcionalidades de segurança, a companhia também investiu pesado no software embarcado no aparelho. O sistema que roda no Librem 5 é o mesmo utilizado nos desktops e notebook da Purism, no entanto, o Pure OS foi adaptado para a utilização em telas menores e sensíveis ao toque. Como se trata de um sistema operacional baseado em Linux, a biblioteca de programas disponíveis para o sistema do pinguim também é compatível com o aparelho.

Para facilitar a experiência de uso dos aplicativos voltados para o desktop no display de 5,7 polegadas, a companhia criou um recurso que consegue adaptar a interface das aplicações automaticamente. Ele permite que os desenvolvedores se dediquem a criar apenas uma versão de um determinado app, dispensando a necessidade de adaptar diferentes versões para outras plataformas como o Pure OS.

Outra funcionalidade interessante do Librem 5 é a possibilidade de poder conectar um monitor externo ou uma doca especial que transforma o gadget em um computador portátil. Quando utilizado dessa forma, o dispositivo ativa o modo desktop, mudando toda a interface do sistema para o uso em telas maiores.

Segundo o fundador da companhia, com o suporte dos usuários, da comunidade open source e dos desenvolvedores, o objetivo é continuar criando novos produtos revolucionários como o Librem 5 no futuro. O dispositivo está à venda por US$ 799 (R$ 4.250), e pode ser adquirido pelo site oficial da empresa.