EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Autoridades do Reino Unido estão incentivando a redução no envio de e-mails com a justificativa de que isso poderia reduzir a emissão de carbono no continente, segundo reportagem do jornal Financial Times. A orientação utiliza como base em comunicado à imprensa emitido pela empresa de energias renováveis Ovo Energy há cerca de um ano.

A ideia é de que e-mails simples, que contenham poucas ou até mesmo uma única palavra, como “obrigado”, sejam abolidos. Ou seja, a energia utilizada em toda a cadeia de transmissão, da emissão do sinal do seu roteador à recepção no data center da operadora de internet, seria economizada. O cálculo da Ovo Energy é de que se um britânico enviar um e-mail a menos por dia, mais de 16 mil toneladas de carbono seriam economizadas por ano.

publicidade

Mas por mais que a matemática esteja correta, o resultado não é tão vantajoso quanto parece, já que a emissão de gases do efeito estufa no Reino Unido é bem maior do que isso. Em 2019, por exemplo, o total foi de 435,2 milhões de toneladas, o que significa dizer que caso a prática do “um e-mail a menos por dia” fosse adotada, a economia seria de 0,0037%.

Energia utilizada no envio de e-mails poderia ser economizada. Crédito: Metamorworks/Shutterstock

Segundo o professor e autor do estudo Mike Berners-Lee, da Universidade de Lancaster, os cálculos, feitos em 2010, foram aproximados, e existem fatores muito maiores em questão. Mike é irmão do cientista da computação Tim Berners-Lee, considerado o “pai da internet”.

Outro ponto levantado pelo professor de Sustentabilidade e Sistemas da Computação da Universidade de Bristol, Chris Preist, é que, ao considerar todo o “trajeto” que a energia gasta ao enviar e-mails faz, a conclusão é que mesmo sem enviar o e-mail, ainda assim estamos gerando impacto.

“Seu computador, seu wi-fi e seu roteador ainda estarão ligados, a rede ainda usará praticamente a mesma quantidade de energia, mesmo com a redução do volume”, explica Preist. “Haverá uma pequena economia no data center hospedando os e-mails, especialmente se eles conseguirem usar menos servidores, mas o carbono economizado será muito menos de um grama por e-mail”, completa.

publicidade

O que realmente faz diferença?

Pesquisadores afirmam que serviços como armazenamento na nuvem e streaming de jogos e vídeo causam um impacto muito maior do que e-mails, mas o assunto ainda é difícil de ser debatido, por não haver consenso sobre como as estimativas devem ser calculadas, ou quem seria responsável por isso.

E embora grandes empresas de tecnologia alcancem o status de carbono neutro ao pagar subsídios para apoiar projetos ambientais, ainda recai sobre elas o peso maior na busca por um mundo sustentável. “É responsabilidade das empresas que fornecem os serviços. Elas deveriam estar desenvolvendo seus sistemas para serem o mais eficiente possível no consumo de energia e recursos”, afirma o professor Chris Preist.

Fonte: BBC