EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Huawei divulgou nesta sexta-feira (4) uma demonstração de como o processador Kirin 9000 melhora a qualidade de vídeos por meio da inteligência artificial.

Em uma série de imagens divulgadas pela empresa chinesa na rede social Weibo, capturas em resoluções de 540p foram transformadas em 1080p. Resumindo, vídeos granulados podem ficar mais cristalinos e definidos com a tecnologia.

publicidade

O exemplo mais evidente disso é a imagem de um lagarto em seu habitat natural. Nas fotos mostradas em baixa resolução, podemos notar diversos “ruídos” que reduzem a qualidade da exibição, ao passo que, após conversão para uma definição mais alta, as cores do animal ficam mais vivas e as linhas de definição são mais uniformes.

Comparação entre arquivo em baixa definição (540p) e sua conversão para o Full HD (1080p). Imagem: Huawei/Divulgação

Super Sampling

O segredo por trás disso é um recurso chamado “super sampling”, que reduz os efeitos de redução de qualidade nas linhas que compõem uma imagem.

Trocando em miúdos: uma imagem de computador possui várias linhas, que por sua vez são formadas por milhares de pixels. Como os pixels têm formato quadrado, a não ser que as linhas estejam perfeitamente na horizontal ou na vertical, curvas e formas podem aparecer granuladas ou “com dentes”.

A técnica de super sampling visa minimizar esses efeitos, trazendo mais fluidez à composição da imagem. Jogos – em especial, os de PC – já fazem isso há tempos (um outro nome para esse recurso é “anti aliasing”), mas é a primeira vez que isso é demonstrado em tempo real, por um processador de smartphones.

publicidade

Na demonstração da Huawei, fica claro que a tecnologia também funciona com resoluções inferiores, a partir de 270p, além de ter certa capacidade de detecção facial, permitindo que a IA encontre rostos e promova pequenas otimizações visuais.

Atualmente, apenas a linha de smartphones Mate 40 da Huawei (Mate 40 Pro, Mate 40 Pro+ e Mate 40 RS) é equipada com o processador Kirin 9000, mas a empresa não informou até que ponto os smartphones fazem uso do recurso de inteligência artificial.

Fonte: Gizmochina