EnglishPortugueseSpanish

A Comissão Europeia escolheu a Nokia para liderar o projeto Hexa-X, iniciativa da União Europeia focada no desenvolvimento da tecnologia 6G. A informação foi confirmada pela companhia em um comunicado à imprensa divulgado nesta segunda (7).

“Os objetivos do projeto incluem criar cenários e cases de uso específicos para o 6G, desenvolver tecnologias fundamentais e definir uma nova arquitetura para uma estrutura inteligente que integre facilitadores da tecnologia”, explicou a empresa finlandesa.

publicidade

O site do Hexa-X lista ainda a sueca Ericsson como gerente técnica da iniciativa, além da colaboração de empresas como Intel, Siemens, TIM e Telefônica. Com financiamento da UE por meio do programa Horizon 2020, a meta é colocar a Europa à frente na corrida pela sexta geração de redes móveis e banda larga.

Para o diretor do departamento de Pesquisa em Acessos e Dispositivos do Nokia Bell Labs, Peter Vetter, a inovação pode trazer benefícios, inclusive na área da medicina. “Veremos aplicações que irão conectar humanos não apenas a máquinas, mas também ao mundo digital. Uma conexão tão segura e privada pode ser usada nos cuidados com a saúde ou até mesmo para criar uma rede com um sexto sentido que intuitivamente entende nossas intenções, tornando nossas interações com o mundo físico mais eficazes e antecipando nossas necessidades, aumentando assim nossa produtividade”, diz.

Garantia de cobertura global é um dos desafios na criação do 6G. Crédito: Peera Stockphoto/Shutterstock

Desafios

Para tornar possível a estrutura base dos sistemas wireless do 6G, uma parceria entre o consórcio Hexa-X e a Nokia Bell Labs apontou seis desafios que necessitam de atenção: o fortalecimento das tecnologias de inteligência artificial e machine learning; criação de uma “rede das redes” (ecossistema digital capaz de crescimento inteligente); otimização energética para redução dos prejuízos ambientais; viabilização de uma cobertura global eficiente; bitrates extremas e latência imperceptível; e confiabilidade no tratamento de dados privados.

O projeto terá início em 1º de janeiro de 2021, com duração planejada de dois anos e meio. A expectativa é lançar o sistema comercialmente em 2030.

Fonte: Nokia/Hexa-X