Ações da criadora de ‘Cyberpunk 2077’ despencam na bolsa após lançamento; entenda

Anunciado pela primeira vez em 2012, ‘Cyberpunk 2077’ era um dos jogos mais aguardados pelos jogadores, justamente por ser produzido pela CD Projekt Red (CDR), a responsável pelo sucesso ‘The Witcher 3’. Após alguns adiamentos, o jogo finalmente foi lançado, mas não como se esperava.


Com o surgimento das primeiras críticas do título por parte da mídia especializada no início desta semana, as ações da CDR caíram quase 20%. O principal ponto indicado nas análises em relação ao jogo é que há muitos bugs e falhas estranhas – que, em alguns momentos, podem atrapalhar o andamento da história.


No ano passado, o título já havia sido adiado três vezes pela CDR sob a justificativa das dificuldades em construir um jogo que seria lançado para nove plataformas diferentes. No entanto, ao que parece, esse tempo a mais não foi o suficiente para resolver grande parte dos problemas.


Consequências


Uma queda tão acentuada após lançar um título muito esperado pode parecer preocupante, mas a CDR ainda é uma empresa bastante valiosa. Desde 2015, com o lançamento de ‘The Witcher 3: Wild Hunt’, as ações da empresa aumentaram quase 1.400%, período em que seu valor de mercado subiu para quase US$ 10 bilhões.


Apesar da queda, as vendas da CD Projekt Red aumentaram mais de 320% no ano passado, e seus lucros trimestrais aumentaram 57% a cada ano – além do fato de que ‘Cyberpunk 2077’ vendeu oito milhões de cópias no período de pré-venda entre consoles e PC.


Por conta disso, os investidores da empresa provavelmente estão calmos, já que, apesar da queda, a companhia ainda está gerando muito dinheiro.

Convulsões

‘Cyberpunk 2077’ pode causar crises convulsivas em pessoas com epilepsia, segundo relatos de uma jornalista que testou o game e possui a condição.

Em um artigo escrito por Liana Ruppert e publicado no site Game Informer, a jornalista alerta que sofreu uma crise enquanto jogava ‘Cyberpunk‘. O episódio mais grave de ataque epilético aconteceu durante uma das sessões de neurodança do jogo chamada de “Braindance”.

Nesta cena o game utiliza um dispositivo que emite rajadas rápidas de luz para entrar em uma espécie de realidade aumentada. Por conta da perspectiva em primeira pessoa do jogo, as luzes também piscam na tela do jogador e isso acabou desencadeando um episódio de convulsão na jornalista.

Além desta cena, a jornalista alerta que ‘Cyberpunk 2077’ conta com uma série de momentos em que rajadas rápidas de luz piscam no display e isso pode desencadear outras crises no decorrer do jogo.

Os desenvolvedores do game afirmam que estão investigando o caso para aplicar soluções ao game.

Via: The Next Web

Esta post foi modificado pela última vez em 11 de dezembro de 2020 14:47

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Luiz Nogueira