EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A United Airlines anunciou que está se preparando para o que chama de “seu passo mais ambicioso na luta contra as mudanças climáticas”. A companhia aérea se comprometeu a reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em 100% até 2050.

A empresa “dobrou a meta”, já que em 2018 havia anunciado que cortaria a emissão de gases em 50% também até 2050. E o plano envolve investimento em uma tecnologia emergente que capturam o dióxido de carbono do ar e no desenvolvimento de combustível de aviação sustentável.

publicidade

“Essas tecnologias irão reduzir significativamente nossas emissões e reduzir de forma mensurável a velocidade das mudanças climáticas – porque comprar compensações de carbono por si só não é suficiente”, disse Scott Kirby, CEO da United. “Não estamos fazendo isso apenas para cumprir nossa própria meta de sustentabilidade; nós estamos fazendo isso para impulsionar a mudança positiva que toda a nossa indústria exige”, completou o executivo.

Frota da United no Aeroporto Internacional O’Hare, em Chicago. Imagem: United Airlines/Divulgação

Um investimento multimilionário será feito na startup 1PointFive, uma parceria entre a Oxy Low Carbon Ventures e a Rusheen Capital Management. Essa empresa é a criadora do Direct Air Capture, uma tecnologia que removendo fisicamente o dióxido de carbono (CO2) emitido pelas aeronaves do ar. O CO2 capturado será então armazenado de forma permanente e segura no subsolo.

“Espera-se que uma única planta capture e sequestre permanentemente um milhão de toneladas de CO2 a cada ano, o equivalente ao trabalho de 40 milhões de árvores, mas cobrindo uma área de terra cerca de 3.000 vezes menor”, afirma a United, em comunicado.

A companhia também espera reduzir as emissões de carbono em 80% com seus novos combustíveis sustentáveis, e já investiu  mais de US$ 30 milhões na produtora Fulcrum BioEnergy, com sede na Califórnia. De acordo com a empresa, desde 2016, mais de 215 mil voos foram feitos usando o combustível.

publicidade