EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Regina Valkenborgh, técnica de fotografia na Barnet and Southgate College, no Reino Unido, pode ter sido a responsável pela foto com maior tempo de exposição já registrada da história. Foi oito anos capturando o nascer e o pôr do Sol na Universidade de Hertfordshire. A fotografia foi achada recentemente no interior de uma lata de sidra.

No final do mestrado em Belas Artes na Universidade, Regina decidiu, depois de vários experimentos de sucesso, tentar registrar imagens no estilo antigo: com uma câmera pinhole. Dessa forma, a estudante, à época, estava interessada em fazer registros sem o uso de tecnologias modernas.

publicidade

Deste modo, a câmera pinhole permite gerar imagens apenas depois de algum tempo de exposição. Normalmente, este método é utilizado para registrar paisagens e mudanças nos cenários urbano e rural.

modelo de câmera pinhole antiga
Câmeras pinhole não possuem lentes e dependem do tempo exposição frente ao objeto da fotografia. Créditos: Darunee Sakulsri/Shutterstock

Na oportunidade em que teve a ideia, em 2012, Regina fixou várias câmeras pinhole, mas o projeto ficou de lado e esquecido no Observatório de Bayfordbury da Universidade de Hertfordshire. Surpreendentemente, o diretor técnico do Observatório, David Campbell, achou as câmeras recentemente e, por sorte, as verificou antes de se desfazer dos objetos.

“Foi um golpe de sorte que a imagem tenha sido deixada intacta, para ser salva por David depois de todos esses anos. Eu já havia tentado essa técnica algumas vezes no Observatório, mas as fotos costumavam ser estragadas pela umidade e o papel fotográfico enrolado. Eu não tinha a intenção de capturar uma exposição por tanto tempo e, para minha surpresa, ela sobreviveu. Pode ser uma das, se não a, exposição mais longa que existe”, afirmou Regina sobre a façanha.

Rastros do Sol

Apesar de uma década de intervalo entre sua instalação no Observatório e a descoberta por Campbell, a câmera registrou 2.953 rastros em arcos do Sol, nascendo e se pondo ao longo de oito anos. Também na imagem, é possível visualizar, à esquerda, a cúpula do telescópio mais antigo do Observatório. Igualmente, à direta, é possível ver o pórtico atmosférico, construído no meio da exposição.

publicidade
foto de longa exposição com rastros horizontais do nascer e pôr do Sol em azul
Foto de Regina Valkenborgh pode ser considerada a registrada com maior exposição da história. Créditos: Universidade de Hertfordshire/Divulgação

Seja como for, o título de foto com o maior tempo de exposição do mundo, até agora, era do alemão Michael Wesely, que levou quatro anos e oito meses para finalizar o registro.

Via: Universidade de Hertfordshire