EnglishPortugueseSpanish

Em um ambiente virtual repleto de cibercriminosos, não utilizar senhas para proteção de seus dados e dispositivos pode parecer loucura. Mas para a Microsoft, o método pode ser garantia de segurança. A gigante de tecnologia confirmou, na última quinta-feira (17), seu plano de remover os passwords de seus sistemas até 2021.

Em seu blog, a empresa por trás do Windows informou que a ideia é deixar seus ambientes com menos senhas possíveis e disse já estar trabalhando com parceiros para concluir o projeto até o ano que vem.

publicidade

Para isso, a Microsoft lançará um portal de registro convergente em 2021, juntamente com as novas APIs e UX (User Experience) que gerenciam as chaves de segurança FIDO2 (Fast Identity Online). A aplicação permitirá aos usuários o desenvolvimento de ferramentas com soluções personalizadas.

Caso o plano seja concretizado, os usuários deverão gerenciar credenciais sem utilizar senhas, por meio do portal My Apps. Este serviço permitirá logins de usuários usando informações biométricas de webcams ou scanners de impressão digital — funções encontradas no Windows Hello, por exemplo.

Windows Hello
Tecnologias de substituição de senhas já podem ser usadas com o Windows Hello. Imagem: Microsoft/Divulgação

Embora o projeto pareça ser arriscado, a Microsoft aponta que cerca de 150 milhões de pessoas vêm utilizando a tecnologia de login sem senha desde maio de 2020. Por isso, a empresa acredita alcançar a sua meta até o ano que vem.

Solução arriscada?

O anúncio do projeto de retirada de senhas da Microsoft ocorre no mesmo dia em que a própria companhia admite ter sido uma das vítimas do ataque cibernético realizado via software de gerenciamento de rede da empresa norte-americana SolarWinds. Mas isso tem uma explicação.

Segundo a Microsoft, 80% dos ataques e violações cibernéticas são direcionadas a senhas e uma em cada 250 contas corporativas é comprometida todo mês.

Estes números, aliado ao fato de as pessoas regularmente utilizarem a mesma senha em suas contas — por facilidade ou comodidade —, pode significar um prato cheio para os cibercriminosos.

Fachada da Microsoft
Empresa acredita que senhas possam ser um dos motivadores para os ataques cibernéticos. Imagem: efes/Pixabay

Por isso, a empresa acredita que logins baseados em reconhecimento facial e impressões digitais dificultariam as atividades dos invasores.

Resta saber se proposta terá sucesso em sua incorporação nos sistemas e se a não utilização de senhas será capaz de diminuir os crescentes casos de ataques cibernéticos no mundo todo.