EnglishPortugueseSpanish

De acordo com informações divulgadas pelo Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) no último sábado (19), a vacina contra a Covid-19 criada pela Pfizer em parceria com a BioNTech causou reação alérgica grave em seis pessoas após a aplicação. Os indivíduos apresentaram quadro de anafilaxia.

“As pessoas afetadas são todos adultos com menos de 65 anos, e a maioria foi hospitalizada e prontamente tratada e submetida à observação”, declarou Tom Clark, autoridade do CDC que apresentou informações sobre o ocorrido ao Comitê Consultivo em Práticas de Imunização (ACIP) que, na ocasião, estava reunido para debater sobre a vacina fabricada pela Moderna.

O CDC afirma que investiga o motivo das reações alérgicas – além de procurar possíveis ligações entre os seis casos. “As doses que elas receberam eram de mais de uma linha de produção”, completa Clark, sugerindo que o ocorrido não foi resultado de um problema de produção em um lote.

Essas informações chegaram rapidamente ao CDC graças a sistemas federais para monitoramento de segurança envolvendo os imunizantes, já que dois dos casos foram registrados no Alasca – os outros quatro não tiveram sua localidade divulgada.

Até a última sexta-feira (18), 112.807 pessoas haviam sido vacinadas com o fármaco da Pfizer e BioNTech. Do total, 3.150 relataram o aparecimento de sintomas após a aplicação. No entanto, segundo Clark, a maioria desses indivíduos não requer cuidados especiais ou internações. Apesar disso, ele afirma que o CDC acompanha de perto os casos para coletar mais informações.

publicidade


Vacina da Pfizer no Reino Unido

Seis pessoas tiveram reação alérgica grave após tomarem a vacina da Pfizer. Foto: Seda Servet/Shutterstock


Na semana passada, os órgãos reguladores do Reino Unido fizeram uma série de recomendações para pessoas que iriam ser imunizadas. A principal delas era que pessoas com “histórico significativo” de reações alérgicas não deveriam tomar o fármaco da Pfizer e BioNTech.


Isso porque dois casos de alergia foram registrados durante o primeiro dia de imunização em massa. Esse acontecimento pode fazer com que autoridades europeias e americanas também apliquem restrições de vacinação para pessoas com histórico de reações alérgicas.

Via: Uol