EnglishPortugueseSpanish

O julgamento de dois processos movidos contra o Google, ambos acusando a empresa de práticas anticompetitivas e formação de monopólio, não será feito antes de 2023, segundo informações de um juiz a serviço do Departamento de Justiça (DOJ) dos Estados Unidos, que sugeriu a data de 12 de setembro daquele ano – uma sugestão que não teve objeções por parte das entidades reclamantes.

Os dois processos referem-se, respectivamente, a uma ação movida contra o Google pelo próprio DOJ, sob a legislação antitruste, bem como um segundo acionamento judicial, movido em conjunto por 38 estados americanos liderados por advogados do Colorado e Nebraska. Estes afirmam que o Google “construiu uma trincheira impenetrável ao redor de seu reino”. Em ambos os casos, as “práticas anticompetitivas” referem-se ao formato do Google Search, uma das principais fontes de renda da empresa de Sundar Pichai e que é intrinsecamente ligada ao Google Ads.

publicidade
julgamento google
Julgamento de processos movidos contra o Google por práticas anticompetitivas ainda devem demorar para serem resolvidos (Créditos: Jeramey Lende/Shutterstock)

Basicamente, os processos afirmam que o Google engajou em práticas escusas para assegurar sua posição como o principal buscador do mundo, incluindo a negociação de acordos especiais para que o Search fosse a opção padrão de buscas em navegadores de internet, smartphones e dispositivos de casa conectada. Outra acusação é a de que o Google manipula resultados a fim de posicionar seus próprios produtos de forma mais vantajosa que os de seus concorrentes.

No julgamento do Google, é provável que os processos sejam unificados em uma única ação, a fim de que sua tramitação judicial seja mais rápida. Entretanto, isso não implica em uma resolução veloz – ou mesmo pacífica: o DOJ considera o tamanho dos processos grande demais para que sua solução venha sem antes passar alguns anos, ao passo que o Google comentou, em uma postagem em seu blog oficial, que as ações são uma tentativa de “mudar o Search de forma que reprima os americanos de informações úteis e machuque a habilidade dos negócios de se conectarem diretamente com os seus consumidores”:

“[Os processos] sugerem que nós não deveríamos ter trabalhado para melhorar o Search e que deveríamos, na verdade, ser menos úteis para você”, diz um trecho da postagem no blog. “Quando você busca por produtos e serviços locais, nós lhe devolvemos informações que lhe ajudam a se conectar com os negócios diretamente, ajudando eles a atingirem mais clientes. O que os processos exigem é que nós façamos mudanças no Google Search, requerendo de nós que sejam exibidos intermediários online no lugar de conexões diretas com os negócios”.

Google
Quando somados, os três processos enfrentados pelo Google constituem uma das maiores ações judiciais da história da internet (Créditos: Kenzo Tribouillard/AFP)

Este é o terceiro processo que envolve, em variados graus, o Google Search ou o Google Ads. No último dia 16, o promotor geral do Texas, Ken Paxton, junto de outros nove servidores, acusaram o Google de negligência com seu negócio de publicidade direcionada. Mais além, o Facebook também vem sendo questionado sobre práticas similares junto às autoridades dos EUA.

publicidade

Fonte: Android Police / Google