A empresa de robótica Nuro conseguiu a primeira permissão de operação comercial da Califórnia, podendo cobrar pelos seus serviços de direção autônoma para entregas ao redor do Vale do Silício. Ao contrário de empresas como Uber e Waymo, os carros inteligentes da Nuro são remotamente controlados por um operador humano, que, de uma só estação, consegue coordenar a entrega de toda a frota.

A Nuro já vinha testando suas capacidades de direção autônoma na Califórnia desde 2017. Primeiramente com uma parceria junto à Toyota – uma série de automóveis da marca Prius, adaptados -; e depois com o seu próprio carro – o pequeno R2, que não tem volante ou pedais, sendo destinado exclusivamente ao armazenamento e transporte de pacotes.

publicidade
nuro direção autônoma
A Nuro agora poderá cobrar pelos seus serviços de entrega via automóveis autônomos, mediante licença concedida pelo estado da Califórnia. Imagem: Nuro/Divulgação

Em uma rodada de investimentos conduzida no início de novembro, a Nuro conseguiu levantar US$ 500 milhões (aproximadamente R$ 2,60 bilhões em conversão direta). O fundo conseguiu esse montante após amplo incentivo de combate à Covid-19, já que a pandemia forçou o fechamento de lojas físicas e as pessoas passaram a depender, quase exclusivamente, do comércio eletrônico para fazer suas compras.

A licença obtida pela Nuro na Califórnia é a primeira de seu tipo, e pode abrir caminho para que outras companhias do setor também consigam, eventualmente, lançar seus próprios serviços de direção autônoma. A empresa, fundada em 2016 pelos ex-Google Dave Ferguson e Jiajun Zhu, pretendem começar o serviço de entrega em caráter comercial no início de 2021, primeiro com o Prius, com uma transição para o R2 nos meses seguintes.

Ainda não há informações sobre quantos carros a Nuro poderá posicionar dentro do Vale do Silício, tampouco como funcionará seu serviço de entrega. Vale ressaltar, porém, que os mesmos veículos R2, de baixa velocidade e sem espelhos retrovisores, também estão sendo testados em Houston, no estado do Texas.

Fonte: Reuters