EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O Xiaomi Mi 11 virá sem carregador. A informação foi confirmada por Lei Jun, CEO da empresa chinesa. Segundo o executivo, a mudança teria sido motivada pelo impacto negativo da indústria de smartphones no meio ambiente. O argumento se baseia no menor uso de plástico na fabricação de novos aparelhos, além do fato da maioria dos usuários já possuírem algum carregador compatível em casa.

Vale lembrar que a Xiaomi foi uma das companhias que tirou sarro da Apple em outubro, depois da decisão da Maçã de não oferecer carregadores na caixa do iPhone 12. A Samsung, outra que também fez piada na ocasião, também deve adotar a mesma estratégia no lançamento do Galaxy S21, próximo carro-chefe da empresa.

publicidade

A Xiaomi chegou a postar em seu perfil oficial no Twitter que “não deixaria nada de fora da caixa” nos seus dispositivos. Na postagem, a empresa ressaltou a presença do acessório na caixa do Mi 10T Pro:

Prática deve virar tendência

Segundo Jun, as preocupações com o meio ambiente levaram a Xiaomi a paralizar o desenvolvimento de novos carregadores para o Mi 11. No microblog chinês Weibo, o executivo revelou a importante decisão da marca: “Em resposta ao chamado da tecnologia e proteção ao meio ambiente, o carregador do Xiaomi 11 foi cancelado.”

Jun finalizou a postagem questionando se existe um meio termo que ajude a solucionar essas práticas da indústria de eletrônicos frente à proteção ambiental. Em resposta, alguns usuários foram contra. Um deles pergunta se o preço do gagdet vai baixar, outro pergunta se o próximo topo de linha da Xiaomi “virá sem a caixa”:

publicidade
Postagem do CEO da XIaomi no Weibo
Mudança foi criticada pelos fãs da marca na China. Imagem: Weibo/Reprodução

Outra justificativa para o fim dos carregadores vindos de fábrica é o fato da maioria dos usuários já possuir o acessório em casa. Na maioria dos casos, um carregador de um smartphones de dois anos atrás ainda pode servir perfeitamente em um dispositivo mais novo. Isso sem contar com fato do carregador para o Mi 11 provavelmente ser vendido separadamente pela Xiaomi, prática adotada pela Apple depois do lançamento do iPhone 12.

Quem pensava que essa prática poderia impactar de forma positiva no preço dos smartphones pode acabar se decepcionando. Mesmo com a mudança, pelo menos no caso dos aparelhos topo de linha, os preços continuam nas alturas. A expectativa é de que as fabricantes ofereçam embalagens cada vez mais minimalistas no futuro, além de adicionarem cada vez menos acessórios na caixa. Algo que inclusive já virou tópico de discussão judicial aqui no Brasil.

Fonte: The Verge/Weibo