Hackers ameaçam divulgar fotos do antes e depois de cirurgias plásticas

Um grupo hacker conhecido como REvil está ameaçando divulgar fotos do “antes” e “depois” de cirurgias plásticas feitas por pacientes do The Hospital Group, maior rede especializada em cirurgia bariátrica, mamária e correção nasal, entre outros procedimentos, no Reino Unido.

O grupo afirma que obteve “mais de 900 GB” de fotos de pacientes que fizeram cirurgias plásticas nas 11 clínicas e hospitais do grupo, que incluem celebridades locais, e que irá divulgá-las caso não receba um pagamento, cujo valor não foi divulgado. A prática é conhecida entre os especialistas como “ransomware“. Segundo os hackers, as “fotos íntimas” dos pacientes “não são uma visão agradável”.

O The Hospital Group confirmou que foi vítima de um ataque: “podemos confirmar que nossos sistemas de TI foram vítimas de uma brecha na segurança de dados. No momento informações de pagamento de nossos pacientes, como detalhes de cartões de crédito, não parecem ter sido comprometidas, mas entendemos que alguns dados pessoais podem ter sido acessados”.

Ataques de ransomware se multiplicaram durante o ano de 2020.

A empresa afirma que alertou todos os seus clientes sobre o ataque via e-mail, e que irá entrar em contato com indivíduos cujos dados pessoais possam ter sido comprometidos. Mas segundo a BBC, há pacientes que não foram avisados.

Um deles é Simon Hails, que fez uma cirurgia plástica de redução mamária no The Hospital Group. Ele afirma que não foi informado pela clínica do “sequestro” de seus dados pessoais. “Recebi um e-mail do The Hospital Group me informando de um ‘incidente de segurança de dados’, mas sem detalhes do que foi invadido”, disse ele à BBC.

“Estou obviamente preocupado, já que a última coisa que quero são fotos do ‘antes’ espalhadas pela internet. Venho tentando manter minha cirurgia plástica em segredo e nem mesmo alguns amigos e colegas sabem sobre ela, então o vazamento de dados me preocupa”, afirmou.

Segundo a BBC o REvil, também conhecido como Sodinokibi, é um dos grupos de ransomware mais ativos. Entre suas vítimas recentes estão a casa de câmbio Travelex e a firma de advocacia Grubman Shire Meiselas & Sacks.

Fonte: BBC

Esta post foi modificado pela última vez em 28 de dezembro de 2020 16:33

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Rafael Rigues