EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A novela entre o TikTok e os EUA ganhou mais um capítulo nesta segunda-feira, 28. Isso porque o governo americano recorreu da ordem de um juiz que impedia o Departamento de Comércio de impor restrições ao app chinês, que pretendiam barrar seu uso nos Estados Unidos.

Carl Nichols, juiz distrital de Washington, é o segundo juiz dos EUA a bloquear tal tentativa. A ação de Nichols se deu após a juíza Wendy Beetlestone, da Pensilvânia, bloquear as restrições contra o TikTok programadas para 12 de novembro. Na ocasião, ela decidiu que o Departamento de Comércio provavelmente ultrapassou sua autoridade quando tentou proibir o app.

publicidade

Um porta-voz do Departamento de Comércio dos EUA disse que continuaria a cumprir as liminares, mas pretendia “defender vigorosamente a [ordem executiva] e os esforços de implementação do Secretário de contestações legais”.

Trump tiktok
Em agosto, Donald Trump disse que assinaria uma ordem executiva para que o TikTok fosse proibido de operar no país. Imagem: rafapress/Shutterstock

Proibição do TikTok nos EUA

Desde agosto, o governo de Donald Trump tenta impor barreiras ao app da ByteDance. O então presidente dos Estados Unidos disse que assinaria uma ordem executiva para que o TikTok fosse proibido de operar no país. Na ocasião, ele comentou com alguns jornalistas que “no que diz respeito ao TikTok, estamos proibindo-o nos Estados Unidos”.

A medida seria o resultado das preocupações de autoridades dos Estados Unidos com a segurança do país, já que havia acusações de espionagem contra o aplicativo de vídeos curtos. A decisão acertou em cheio a ByteDance, que se tornou um dos poucos conglomerados chineses verdadeiramente globais graças ao sucesso comercial do TikTok.

O presidente chegou a estipular uma data para que o TikTok fosse vendido nos EUA, mas o prazo foi adiado por diversas vezes.

publicidade

Agora, a decisão sobre se os EUA continuarão sua tentativa de banir o TikTok caberá ao próximo governo Biden.

Fonte: TechCrunch