EnglishPortugueseSpanish

Governo britânico permitirá mistura de vacinas contra a covid-19

Redação 4 de janeiro de 2021
publicidade

O Reino Unido vai permitir a mistura de vacinas contra a Covid-19. A novidade faz parte das novas diretrizes para o programa de vacinação britânico.

Mas a medida só será adotada em algumas circunstâncias. Segundo a determinação, “se a mesma vacina não estiver disponível, ou se o produto usado na primeira dose for desconhecido, é razoável oferecer uma segunda dose de um produto disponível localmente para completar o calendário”.

publicidade

Mary Ramsay, diretora de imunização da Public Health England, garantiu que isso só deve acontecer em ocasiões “extremamente raras”.

Segundo ela, o governo não está recomendando a mistura de vacinas, que geralmente são aplicadas em duas doses com um intervalo de 15 dias. Para a diretora de imunização, “todos os esforços devem ser feitos para que o paciente receba a mesma vacina, mas quando isso não for possível é melhor dar uma segunda dose de outra vacina do que ficar sem ela”.

Além da falta do composto original, a mistura de vacinas pode ocorrer em casos onde o paciente “tem alto risco imediato” ou “baixa probabilidade de comparecer novamente” ao local de vacinação.

O Reino Unido foi o primeiro país a iniciar a imunização de sua população usando a vacina da Pfizer/BioNTech, em 8 de dezembro de 2020.

publicidade

Um segundo imunizante, a “Vacina de Oxford” produzida pela companhia farmacêutica AstraZeneca, foi aprovada em 30 de dezembro, e começou a ser usada nesta segunda-feira.