EnglishPortugueseSpanish

O banco digital N26, da Alemanha, enfim recebeu autorização do Banco Central (Bacen) para operar no Brasil. O anúncio vem dois anos após os líderes da instituição financeira, os austríacos Maximilian Tayenthal e Valentin Stalf, anunciarem suas intenções de chegar ao nosso mercado, rivalizando empresas como Nubank, Banco Inter e C6 Bank.

Por aqui, a fintech será liderada por Eduardo Del Guerra Prota, que traz em seu currículo passagens por empresas como Cielo e Santander. Prota já vinha trabalhando para o banco digital N26 há algum tempo, organizando a estrutura da companhia e preparando o terreno para a sua estreia em solo brasileiro.

publicidade

Segundo o executivo, a empresa funcionará pela oferta de conta digital e outros produtos próprios, mas também trará materiais de parceiros – embora não tenha detalhado, neste momento, quais são eles.

banco digital n26
Comunicado da chegada do banco N26 já foi publicado na página oficial da empresa, em inglês. Imagem: Olhar Digital/Captura/Reprodução

A empresa se chamará, aqui, “N26 Sociedade de Crédito Direto”, contando com um capital social de R$ 2,008 milhões. Como serviço de estreia, a conta digital do N26 deve inaugurar a entrada da empresa no Brasil, trazendo diferentes tipos de assinatura apenas para pessoas físicas. Mais além, será possível utilizar o que a empresa chama de “Spaces”, uma forma facilitada de abrir subcontas.

Posteriormente, o banco deverá trazer serviços como cartões e linhas de crédito para empréstimo. Até o momento, porém, não foi informado se a instituição trabalhará com contas para pessoas jurídicas – algo que seus concorrentes diretos já possuem há algum tempo.

Fundado em 2013, o banco digital N26 opera em 25 países. São mais de cinco milhões de clientes e é atualmente avaliado em US$ 3,6 bilhões.

Fonte: Valor Investe