EnglishPortugueseSpanish

Uma nova regulamentação proposta para transações de criptomoedas nos EUA está preocupando Jack Dorsey, CEO do Twitter e da Square, uma empresa de serviços financeiros. Em uma carta postada no site da companhia, o executivo destaca como as novas regras podem prejudicar a plataforma – que investiu US$ 50 milhões em bitcoin recentemente.  

Ele enfatizou como a regulamentação prejudicaria a Square ao citar um “atrito desnecessário e incentivos perversos para clientes de criptomoeda”. Isso porque, o que a nova regulamentação propõe é que empresas de criptomoedas devem registrar informações referentes às transações de moedas virtuais muito além do necessário – em alguns casos, até dados pessoais sobre as partes envolvidas na negociação.  

publicidade

O principal objetivo do regulamento é o de ajudar a prevenir alguns dos usos ilegais de criptomoedas, como atividades ilícitas – tráfico de drogas ou lavagem de dinheiro são alguns exemplos.

No entanto, a principal reclamação de Dorsey se refere aos clientes comuns, já que a prática criaria o citado “atrito desnecessário” entre empresa e usuário, já que seria necessário coletar nome completo e endereço de alguns deles para fins de segurança.  

Regulamentação pode prejudicar a comercianlização de criptomoedas nos EUA. Foto: Wit Olszewski/Shutterstock

“Para ser mais claro, se os [regulamentos] fossem implementados da forma como estão escritos, a Square seria obrigada a coletar dados não confiáveis sobre pessoas que não optaram por usar nosso serviço ou se cadastraram como clientes”, afirma Dorsey.  

Para sustentar sua afirmação, o empresário citou o exemplo de um pai que quer enviar dinheiro à sua filha. Mesmo se a destinatária usar uma carteira particular para receber os bitcoins, a Square seria obrigada a coletar informações pessoas de ambas as partes. Dorsey, junto de outros defensores da privacidade, veem isso como um exagero, especialmente devido à natureza aberta do blockchain

publicidade

O CEO argumenta que a regulamentação pode intimidar clientes que, para se proteger, usariam “carteiras ou serviços fora dos Estados Unidos para transferir seus ativos com mais facilidade”. Simplificando, se as pessoas tiverem que fornecer informações privadas a um banco para realizar uma transação, elas evitarão sua utilização.  

Além disso, o executivo afirma que isso dificulta a inovação. “A pesada coleta de informações e requisitos de relatórios privam empresas dos EUA da chance de competir em igualdade de condições de utilização das criptomoedas como ferramentas de fortalecimento econômico”, comenta. Resta saber se, após a manifestação de Dorsey, alguns pontos da regulamentação serão revistos.

Via: The Verge