EnglishPortugueseSpanish

A Samsung realizou nesta quarta-feira (6) o seu primeiro evento virtual de 2021, nos dias que antecedem a CES, o maior evento de tecnologia do mundo, e que neste ano não acontecerá presencialmente em decorrência da pandemia de Covid-19.

Como já é tradicional, a Samsung dedicou a maior parte de seu evento da CES para as TVs. O grande destaque do dia foi o que a companhia chama de Neo QLED, uma renovação da linha de televisores high-end da companhia, com suporte a resoluções até 8K.

publicidade

O Neo QLED se sustenta sobre uma nova tecnologia chamada Mini LED, que conta, como o nome indica, LEDs menores do que os modelos antecessores. A companhia diz que eles são 40 vezes menores do que os antigos e proporcionam mais contraste e reduzem um efeito chamado de “blooming”, que acontece quando a luz de um pixel acaba vazando para os outros ao seu redor, tornando a imagem difusa e gerando perda de qualidade.

A Samsung parece ter voltado seus esforços para destacar recursos de software que ajudem durante a pandemia. Uma das novidades da empresa é uma ferramenta de “personal trainer virtual” incluída nas TVs, que orientam o treinamento do usuário, acompanhando sua movimentação e desempenho com uma câmera. O televisor também é integrado a ferramentas de chamadas de vídeo, para quem quiser realizar uma reunião com amigos e familiares sentado no sofá da sala.

Para os videogames, a companhia anunciou um novo modo que permite ajustar a proporção do jogo, oferecendo suporte a imagens mais amplas do que o convencional 16:9. Se o jogador preferir jogar em 21:9, por exemplo, ou até 32:9 seu campo de visão é ampliado, embora barras pretas surjam ao redor do conteúdo.

Apesar do anúncio, a companhia não anunciou preços ou data de disponibilidade dos novos modelos Neo QLED.

publicidade

MicroLED mais acessível

Além do Mini LED que a Samsung implementou em alguns de seus novos modelos, a companhia também trouxe novidades para o MicroLED, que é sua tecnologia mais avançada, mas ainda extremamente restrita, funcionando como concorrente direto para o OLED, por permitir que cada pixel seja ligado ou desligado individualmente, proporcionando mais qualidade.

Tecnologia MicroLED proporciona melhor qualidade de imagem, mas ainda é pouco acessível (Foto: Divulgação/Samsung)

Até hoje, a TV estava disponível apenas no caríssimo modelo The Wall. Com a CES 2021, a Samsung trouxe o MicroLED para outros patamares. A companhia já havia anunciado um modelo de 110 polegadas em dezembro, e agora apresentou opções de 99 e 88 polegadas, cada vez mais aproximando a tecnologia de um público mais comum.

“TVs para todos”

O primeiro destaque da empresa é um novo controle remoto que utiliza energia solar, que visa reduzir o consumo de pilhas para alimentar o acessório. Segundo os cálculos da companhia, considerando o tempo de vida médio de uma TV, a mudança evitará que cerca de 99 milhões de pilhas sejam descartadas, criando um impacto positivo para o meio ambiente.

imagem do modelo de controle remoto solar da samsung
Samsung diz que células fotovoltaicas no controle podem ajudar o meio ambiente (Foto: Divulgação/Samsung)

A empresa também bateu na tecla da acessibilidade, com novas capacidades para quem tem problemas de visão, com recursos de alto contraste na interface de TV, que permite navegação mais fácil, um modo que proporciona mais facilidade para ver cores para portadores de daltonismo, uma ferramenta para ampliar a área da tela dedicada ao intérprete de linguagem de sinais e mudança da posição das legendas em closed-caption para que não cubram elementos importantes da tela.

A linguagem de sinais é parte importante da estratégia de acessibilidade da companhia. A empresa criou um avatar, que funciona como intérprete digital, que traduz o conteúdo automaticamente para quem tem problemas auditivos. A companhia também está trabalhando em um equipamento que seja capaz de entender quando o usuário está se comunicando por sinais, uma alternativa de acessibilidade aos comandos de voz que já existem nas TVs da empresa.