Após violar as regras do Twitter e ter sua conta bloqueada temporariamente, o presidente Donald Trump cumpriu as exigências da rede social e excluiu os três tuítes que ocasionaram a situação.  

Uma das mensagens compartilhadas por Trump era um vídeo em que fazia alegações sobre fraude no resultado da eleição norte-americana. Vale lembrar que, além do Twitter, o clipe também foi removido da conta do presidente no Facebook.  

publicidade

Para sinalizar quais conteúdos violaram suas regras de utilização, o Twitter substituiu os tuítes por mensagens informando que a postagem “não estava mais disponível”.  

“Isso significa que a conta de @realDonaldTrump será bloqueada por 12 horas após a remoção desses tuítes. Se os tuítes não forem removidos, a conta permanecerá bloqueada”, disse o Twitter em um comunicado na quarta-feira (6). 

Pouco tempo após essa postagem, o presidente removeu as mensagens – apesar de não ser possível dizer o horário exato em que isso ocorreu. A partir disso, 12 horas começaram a ser contadas para que o presidente recuperasse sua conta.  

Presidente excluiu três tuítes para ter sua conta de volta. Foto: Casimiro PT/Shutterstock

Agora, no lugar das postagens, a rede social exibe a seguinte mensagem: “Este tuíte não está mais disponível porque violou as regras do Twitter”.  

Após recuperar o acesso à sua conta, Trump deverá agir com mais cuidado em relação ao que posta. Isso porque, apesar de prometer restaurar o acesso, o Twitter afirmou em comunicado que “violações repetidas” de suas polícias poderiam resultar em uma suspensão permanente.  

Ainda na quarta-feira, após bloquear temporariamente a conta de Trump, o Twitter foi pressionado para que a ação fosse definitiva. Ellen Pao, investidora e ex-CEO do Reddit, tuitou em sua conta que a rede social deveria “apenas bani-lo. Não exiba seu vídeo perigoso durante um golpe onde ele diz que ama os rebeldes e mente sobre os resultados da eleição”. 

Outros episódios

Não é a primeira vez que o Twitter pune Donald Trump por suas postagens – apesar de ser a punição mais grave. Há sete meses, por exemplo, o presidente usou o Twitter para chamar os manifestantes dos protestos por justiça racial em Minneapolis de “bandidos” e disse que saques poderiam levar a tiroteio. Esse post levou o Twitter a puni-lo: seu tuíte foi bloqueado.

Via: Business Insider