Em algum momento da vida, a maioria das pessoas já teve que retirar algum pelo do corpo. É uma coisa natural. No entanto, há uma condição rara – e bizarra – que faz com que seja, literalmente, necessário depilar as gengivas.  

Há pouco mais de dez anos, uma mulher procurou médicos da University of Campania Luigi Vanvitelli, na Itália, com um caso que intrigou os profissionais. Na ocasião, foi descoberto que a jovem possuía uma condição rara conhecida como hirsutismo gengival. 

publicidade

“Em 2009, relatamos o caso de uma jovem com pelos no epitélio sulcular da papila palatina retroincisiva”, descreveram os especialistas em um estudo sobre o caso, publicado em agosto de 2019. Traduzindo, a mulher possuía pelos semelhantes a cílios projetando-se diretamente atrás de seus dentes frontais superiores.  

Com uma rápida pesquisa, é possível dizer que há registro de apenas outros cinco casos semelhantes. O interessante a se observar é que todos datam da década de 1960 e são homens.  

No entanto, isso não quer dizer que não houve mais casos da condição ao longo da história. A questão é que há poucos exemplos registrados, o que dificulta a descoberta do motivo pelo qual isso acontece.  

Pesquisa da causa do problema 

Para tentar solucionar o mistério, os médicos foram rápidos em realizar todos os exames possíveis. Foram testes hormonais e ultrassonografias que levaram à descoberta da síndrome dos ovários policísticos (SOP), uma condição reprodutiva ligada diretamente a desequilíbrios hormonais.  

O hirsutismo, desenvolvimento exagerado de pelos, cabelos ou buço, em correlação com distúrbios das glândulas endócrinas (supra-renais), é uma consequência comum desse desequilíbrio. Em geral, no entanto, esse crescimento atípico ocorre em partes do corpo que já possuem folículos – como rosto, tronco e membros.  

No presente caso, os cabelos encontrados eram ectópicos, o que significa que cresciam fora do lugar. Por conta disso, apesar da SOP não ser a principal causa, os especialistas apontam para uma grande possibilidade da síndrome ter contribuído para a situação.  

Os cabelos foram removidos cirurgicamente e, após a prescrição de anticoncepcionais para ajudar no desequilíbrio hormonal, ela voltou a ter uma vida sem pelos na boca. Pelo menos por um tempo.  

Retorno dos pelos na gengiva

Seis anos depois, a paciente não foi identificada voltou à clínica para procurar ajuda. Tendo interrompido a medicação, o problema retornou.  

Desta vez, a equipe não apenas removeu os cabelos, mas também aproveitou a oportunidade para retirar uma pequena amostra de tecido para análise em laboratório. Eles encontraram folículos capilares abrindo caminho através da gengiva. Um ano depois a condição piorou, com pelos surgindo de várias áreas ao redor da boca.  

Não se sabe se a paciente voltou à medicação prescrita anteriormente ou se continuou a lidar com o crescimento de pelos entre os dentes. É desconhecida também se essa questão afeta diretamente à saúde ou se causa algum desconforto ao paciente.

Via: Science Alert