EnglishPortugueseSpanish

Ficou para o próximo domingo (17) a decisão sobre pedidos de autorização para uso emergencial, temporário e experimental das vacinas do Instituto Butantan e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a data representa o penúltimo dia do prazo estabelecido como meta para análise dos pedidos.

A agência reforça, porém, que “faz-se necessária a entrega, em tempo hábil para análise, dos documentos faltantes e complementares”.  Na última segunda-feira (11), uma triagem inicial da Anvisa concluiu que o documento entregue pelo Butantan carecia de “dados necessários” para análise, enquanto o pedido Fiocruz trazia “os documentos preliminares e essenciais para a avaliação”.

publicidade

Os pedidos de uso emergencial de vacinas de Oxford e Coronavac foram recebidos na manhã da última sexta-feira (8). De acordo com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, as primeiras doses da vacina contra a Covid-19 serão enviadas para todos os estados em até quatro dias após a autorização oficial da Anvisa.

Butantan e Fiocruz podem disponibilizar oito milhões de doses de vacinas nas próximas semanas. Imagem: w1snu.com/Shutterstock

As doses serão distribuídas através do SUS (Sistema Único de Saúde): “No primeiro dia que chegar a vacina, ou que a autorização for feita, a partir do terceiro ou quarto dia já estará nos estados e municípios”. Segundo o ministro, a campanha de imunização da população é prioridade no governo, e deve ser “exemplo para o mundo”.

Já o governo do estado de São Paulo confirmou que pretende iniciar sua campanha de vacinação contra a Covid-19 no próximo dia 25 – num esquema que mobilizará 77 mil profissionais de saúde e segurança. Para que essa logística possa funcionar, a Secretaria Estadual da Saúde confirmou nesta terça-feira (12) que fará um pré-cadastro com as pessoas que receberão a imunização.

Andamento da análise das vacinas

Clique na imagem para ampliá-la

Reunião com a Pfizer

A Anvisa ainda anunciou que realizou nesta terça-feira (12) uma reunião com representantes da Pfizer. Durante o encontro, os técnicos da Agência “esclareceram dúvidas e orientaram os representantes da empresa sobre o pedido de uso emergencial para a vacina contra Covid-19 no Brasil”.

O encontro virtual, segundo a Anvisa, encerrou sem que a decisão pelo pedido de uso emergencial tenha sido tomada.