A Amazon vai começar a remover produtos ligados ao movimento conspiratório QAnon, segundo o jornal Washington Post.

A medida foi confirmada por uma porta-voz da empresa, e vem um dia depois do grupo liderado por Jeff Bezos banir a plataforma social conservadora Parler.

publicidade

De acordo com Cecilia Fan, os produtos ligados ao QAnon não se limitam apenas a membros do movimento, mas também por pessoas não afiliadas que simpatizam com suas conspirações desacreditadas.

Nestes casos, a Amazon também vai agir, removendo benefícios de vendedores que tentem contornar a regra ou oferecer produtos banidos no lugar de pessoas suspeitas.

Imagens da invasão ao Capitólio, em Washington, na última semana, revelaram a presença de vários membros do QAnon no ataque.

No local, havia pessoas vestindo camisetas, bonés, broches e outros acessórios que mostravam simpatia ao movimento.

As mesmas roupas e acessórios eram facilmente encontrados nas lojas de vendedores terceirizados dentro do marketplace da Amazon até segunda-feira.

De acordo com Cecilia Fan, o processo de banimento de produtos relacionados ao QAnon “deve levar alguns dias”.