Coronavac: Butantan enviará 4,5 milhões de doses para o Ministério da Saúde

O Instituto Butantan já tem 4,5 milhões de doses prontas da Coronavac, que serão encaminhadas para Centro de Distribuição e Logística do Ministério da Saúde, no Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional de Guarulhos, como parte da campanha nacional de vacinação contra a Covid-19. O anúncio foi feito em uma coletiva de imprensa do Governo de São Paulo na tarde desta sexta-feira (15).

“Só estamos aguardando uma autorização do Ministério para fazer esse encaminhamento. Tão logo isso aconteça, a pasta poderá iniciar sua logística de distribuição da vacina para todo Brasil”, afirmou o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas. A Coronavac ainda depende da aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial.

A decisão da agência será anunciada no próximo domingo (17), mas Covas afirmou que tem convicção que a vacina será liberada. “Os documentos solicitados foram todos entregues até a manhã de hoje, e dois questionamentos que estão pendentes  serão respondidas nesta tarde, numa reunião técnica”, disse o diretor do Instituto Butantan.

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan. Imagem: Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

Com as doses em mãos e a devida aprovação da Anvisa, o Ministério da Saúde poderá iniciar a vacinação nacional contra a Covid-19 na data planejada: 20 de janeiro. A previsão é de que 8 milhões de doses estejam disponíveis até o fim do mês, entre a Coronavac e a vacina da AstraZeneca/Oxford. Esta última estava prevista para chegar da Índia, mas um impasse diplomático pode atrasar a importação.

“A vacina vai ajudar muito. É a primeira arma que efetiva para minorar os efeitos dessa pandemia”, afirmou Covas. “Mas temos que lembrar que esse efeito ainda vai demorar um pouco para ser sentido. Só vamos começar a observar resultados a partir de abril e maio, na medida em que a vacinação ocorrer em um grande número de pessoas, principalmente em grupos de risco. Até lá nós temos uma luta muito grande contra esse vírus”, completou o pesquisador.  

O Butantan já dispõe de 10,8 milhões de doses da vacina em solo brasileiro. No final de março, a carga total de imunizantes disponibilizados pelo instituto é estimada em 46 milhões de doses. A Coronavac obteve 50,38% de eficácia global no estudo clínico desenvolvido no Brasil, além de proteção de 78% em casos leves e 100% contra casos moderados e graves da Covid-19.

Preocupação de Covas: Manaus em crise

Covas ainda demonstrou preocupação com a situação que vem passando a cidade de Manaus e os municípios vizinhos. A região enfrenta uma segunda onda da Covid-19, que pode ter sido causada por uma variante mais contagiosa do Sars-Cov-2, e tem faltado oxigênio nos hospitais da cidade.

Respiradores criados pela USP que serão enviados para Manaus. Imagem: Governo de São Paulo/Divulgação

“Existe muita preocupação com essa variante brasileira que muitos já atribuem à velocidade aumentada de propagação que está acontecendo em Manaus. A vacina é uma esperança, mas até lá temos que manter essa luta de uma forma tão intensa ou mais do que já fizemos até aqui”, afirmou Covas.

 O governador de São Paulo, João Doria, anunciou durante a coletiva que disponibilizará 40 respiradores desenvolvidos pela Universidade de São Paulo (USP) para o governo de Amazonas. Cinco deles serão enviados ainda hoje (15). No sábado (16) irão mais cinco, no domingo (17) outras 20 unidades e na semana que vem os 10 restantes.

Via: Governo do Estado de São Paulo

Esta post foi modificado pela última vez em 15 de janeiro de 2021 15:51

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Renato Mota