EnglishPortugueseSpanish

A exportação para o Brasil de dois milhões de doses da “vacina de Oxford” produzidas na Índia continua incerta. Quando questionado sobre a operação, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Índia, Anurag Srivastava, disse que “é muito cedo” para dar uma resposta, já que o país ainda está avaliando a possibilidade de exportar o produto fabricado pelo Serum Institute em seu território.

Em 3 de janeiro o CEO do Serum Institute, Adar Poonawalla, disse em entrevista à Associated Press que o governo indiano havia vetado a exportação de doses da vacina de Oxford, para garantir a imunização de todos os indianos que integram o grupo de risco.

publicidade
Airbus A330Neo da Azul partirá para Mumbai nesta sexta-feira (15) para buscar 2 milhões de doses da "vacina de Oxford
Airbus A330Neo da Azul partirá para Mumbai nesta sexta-feira (15) para buscar 2 milhões de doses da “vacina de Oxford”. Imagem: Azul

A medida prejudica os planos do Governo Brasileiro, que pretendia importar 2 milhões de doses de vacinas da Índia para antecipar o início de uma campanha de vacinação.

O pedido de uso emergencial destas doses foi feito em 8 de janeiro, e elas seriam usadas enquanto as primeiras doses de um lote nacional de 100 milhões de doses não ficam prontas, algo previsto para fevereiro.

Dois dias depois, Poonawalla veio a público esclarecer sua declaração, e afirmou que as vacinas poderão ser exportadas, mas apenas após o Serum Institute entregar ao governo indiano 100 milhões de doses, o que levaria dois meses.

“Quero esclarecer duas questões, pois há confusão no domínio público: as exportações de vacinas são permitidas para todos os países e um comunicado conjunto esclarecendo quaisquer mal-entendidos com relação à Bharat Biotech será feito”, escreveu em sua conta no Twitter.

publicidade

Um avião da Azul fretado pelo Ministério da Saúde deveria ter partido de Recife rumo a Mumbai nesta quinta-feira (14) para buscar os 2 milhões de doses da vacina de Oxford. Entretanto, a partida foi adiada para esta sexta-feira (15) às 23h. Segundo o ministério, o motivo foi uma questão de “logística internacional”.

O retorno da aeronave está programado para as 15h (horário de Brasilia) do domingo, 17 de janeiro, no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Segundo a Folha de S. Paulo, o Ministro da Saúde Eduardo Pazuello estará no local para receber a carga.

Recentemente o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, disse que a campanha de vacinação contra a Covid-19 deverá começar ao mesmo tempo em todas as capitais. Algumas cidades, como Curitiba, já anunciaram que o início da imunização será na próxima quarta-feira, 20 de janeiro.

Fonte: UOL