Em uma de suas últimas ações como presidente dos Estados Unidos, Donald Trump concedeu perdão ao ex-engenheiro do Google Anthony Levandowski.

O profissional foi condenado a 18 meses de prisão em agosto de 2020 por roubar segredos da Waymo, divisão de carros autônomos da companhia.

publicidade

Com a decisão, Levandowski não cumprirá nenhum dia de prisão. Isso porque o juiz que presidiu o caso permitiu que ele só se apresentasse após o fim da pandemia de Covid-19.

O documento emitido pela Casa Branca informa o apoio de várias personalidades da área de tecnologia à decisão.

Isso inclui o fundador da Oculus, Palmer Luckey, os advogados Miles Ehrlich e Amy Craig e o investidor Michael Ovitz.

Levandowski não foi o único beneficiado: Trump concedeu o perdão presidencial a 73 condenados no total. Outras 70 sentenças foram reduzidas.