Na quarta-feira (20), logo após Joe Biden assumir a presidência dos Estados Unidos, o CEO da divisão de consumo da Amazon, Dave Clark, enviou uma carta em nome da empresa declarando ao governo total apoio com a resposta à pandemia da Covid-19.  

O comunicado descreve que a “Amazon está pronta para ajudá-lo”. Clark também observa que, “assim que as vacinas estiverem disponíveis”, a empresa se compromete a “alavancar nossas operações, TI e capacidade de comunicação e experiência para auxiliar os esforços de imunização em sua administração”, em uma iniciativa para “causar um impacto significativo imediatamente na luta contra Covid-19”. 

publicidade
Carta escrita por Dave Clark e enviada a Joe Biden. Foto: Amazon/Reprodução

Clark também comentou que a Amazon e sua subsidiária, a Whole Foods, fecharam parceria com uma empresa terceirizada para administrar vacinas em suas instalações. Além disso, o CEO pressionou para que seus mais de 800 mil trabalhadores essenciais fossem priorizados na distribuição do imunizante. 

“Os funcionários essenciais que trabalham em centros de distribuição da Amazon, centros de dados da AWS e lojas Whole Foods Market em todo o país que não podem trabalhar em casa devem receber a vacina contra a Covid-19 o mais rápido possível. Vamos ajudá-los nesse esforço”, descreve ele.  

Em dezembro do ano passado, Clark escreveu uma solicitação semelhante ao presidente do Comitê Consultivo de Práticas de Imunização dos Centros para Controle e Prevenção de Doenças. Na ocasião, ele disse que o governo deveria priorizar trabalhadores essenciais, como funcionários de depósitos, mercearias e centros de dados, na aplicação da vacina.  

Joe Biden conta com apoio de Bill Gates

O novo presidente dos Estados Unidos também recebeu o apoio de Bill Gates, cofundador da Microsoft. O empresário tuitou que está ansioso para trabalhar com o governante e com a vice-presidente Kamala Harris no objetivo de resolver alguns dos problemas enfrentados pelo país.   

Gates menciona especificamente a pandemia da Covid-19 e as mudanças climáticas. “Este tem sido um período problemático para a América, mas vejo uma promessa nos próximos meses e anos”, tuitou.  

Em três outras postagens, Gates encorajou os norte-americanos a praticar o distanciamento social, usar máscaras de proteção e tomar a vacina contra a Covid-19, observando que essas atitudes eventualmente farão com que o país volte ao normal.   

Ele também elogiou Biden por seu “compromisso de reengajar com o mundo”, bem como por sua decisão de voltar ao Acordo Climático de Paris – passo dado pelo presidente ao assinar os papéis renovando o compromisso dos EUA com o acordo no mesmo dia da posse.   

Atualmente, quase 200 países fazem parte do acordo e se comprometem a combater o aquecimento global reduzindo as emissões de carbono. Os EUA saíram do acordo climático em 2017. Para justificar a decisão, o então presidente Donald Trump afirmou que permanecer na iniciativa era injusto e custaria empregos do país.   

Via: Engadget

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!