EnglishPortugueseSpanish

Após a posse do Joe Biden como presidente dos Estados Unidos, o cofundador da Microsoft, Bill Gates, tuitou que está ansioso para trabalhar com o governante e com a vice-presidente Kamala Harris no objetivo de resolver alguns dos problemas enfrentados pelo país.  

Gates menciona especificamente a pandemia da Covid-19 e as mudanças climáticas. “Este tem sido um período problemático para a América, mas vejo uma promessa nos próximos meses e anos”, tuitou.  

publicidade

Em três outras postagens, Gates encorajou os norte-americanos a praticar o distanciamento social, usar máscaras de proteção e tomar a vacina contra a Covid-19, observando que essas atitudes eventualmente farão com que o país volte ao normal.  

Ele também elogiou Biden por seu “compromisso de reengajar com o mundo”, bem como por sua decisão de voltar ao Acordo Climático de Paris – passo dado pelo presidente ao assinar os papéis renovando o compromisso dos EUA com o acordo no mesmo dia da posse.  

Atualmente, quase 200 países fazem parte do acordo e se comprometem a combater o aquecimento global reduzindo as emissões de carbono. Os EUA saíram do acordo climático em 2017. Para justificar a decisão, o então presidente Donald Trump afirmou que permanecer na iniciativa era injusto e custaria empregos do país.  

Combate à Covid-19 e às mudanças climáticas 

Recentemente, Gates deixou o controle da Microsoft para “dedicar mais tempo às suas prioridades filantrópicas, incluindo saúde global, desenvolvimento, educação e seu crescente envolvimento no combate às mudanças climáticas”.  

A ideia do empresário é a de fazer isso por meio de sua fundação própria, a Bill & Melinda Gates, que financia pesquisas médicas e programas de vacina.  

No entanto, em uma postagem feita em agosto do ano passado, Gates comenta que, embora a pandemia do coronavírus seja “horrível”, a crise das mudanças climáticas poderia ser ainda pior.

Ele admitiu que é difícil se concentrar em alguma coisa que não seja a pandemia, mas alertou que os EUA devem acelerar seus esforços para evitar um possível desastre climático.  

“Se você quiser entender o tipo de dano que a mudança climática pode trazer, olhe para a Covid-19 e espalhe a dor por um período muito mais longo. A perda de vidas e a miséria econômica são equivalentes ao que acontecerá regularmente se não eliminarmos as emissões de carbono do mundo”, afirma.  

Para resolver isso, ele deu como sugestão o aumento do financiamento governamental para pesquisas sobre energia renovável. Gates afirma que, atualmente, os EUA gastam US$ 7 bilhões em pesquisa de energia renovável, enquanto gastam US$ 35 bilhões por ano em pesquisa médica. Segundo o empresário, igualar esses valores já seria um bom começo. 

Via: Cnet

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!