Um incêndio afetou na manhã desta quinta-feira um dos prédios do Instituto Serum, na Índia, maior fabricante mundial de vacinas e um dos responsáveis pela produção da “vacina de Oxford” contra a Covid-19, a Covishield.

O corpo de bombeiros da cidade de Pune, onde fica o instituto, deslocou cinco caminhões para combater as chamas, que atingiram um prédio ainda em construção. A causa do incêndio no Instituto Serum ainda não foi informada, e pelo menos cinco pessoas morreram.

publicidade

Segundo o CEO, Adar Poonawalla, a produção de imunizantes contra a Covid-19 não foi atingida, e não haverá perda de doses da vacina Covishield por causa do incidente. “Até agora, o mais importante é que não houve perda de vidas ou grandes ferimentos devido ao incêndio, apesar de alguns andares terem sido destruídos”, afirmou.

O instituto está produzindo mensalmente 50 milhões de doses da Covishield. O Serum seria o fornecedor de 2 milhões de doses ao governo brasileiro, para o início da campanha nacional da imunização.

Porém, em 3 de janeiro Poonawalla disse em entrevista à Associated Press que o governo indiano havia vetado a exportação de doses da vacina de Oxford, para garantir a imunização de todos os indianos que integram o grupo de risco.

Dois dias depois o executivo veio a público esclarecer sua declaração, e afirmou que as vacinas poderão ser exportadas, mas apenas após o Serum Institute entregar ao governo indiano 100 milhões de doses, o que levaria dois meses.

Um avião da Azul fretado pelo Ministério da Saúde deveria ter partido de Recife rumo a Mumbai na última quinta-feira (14) para buscar as doses, mas devido ao impasse o voo foi cancelado. Com isso o governo foi forçado a mudar seus planos e iniciar a vacinação usando a Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan sob licença da empresa farmacêutica chinesa Sinovac.

Fonte: Agência Brasil

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!