A produção de imunizantes contra a Covid-19 não será afetada após o incêndio em um dos prédios do Instituto Serum, na Índia, nesta quinta-feira. A garantia é do CEO da empresa, Adar Poonawalla.

O Instituto Serum é um dos responsáveis pela produção da Covishield, mais conhecida como “vacina de Oxford”.

publicidade

O corpo de bombeiros da cidade de Pune, onde fica o instituto, deslocou cinco caminhões para combater as chamas, que atingiram um prédio ainda em construção. A causa do incêndio ainda não foi informada.

A fabricante produz mensalmente 50 milhões de doses da Covishield. Destas, o Brasil aguarda um lote com 2 milhões de vacinas para aplicação por aqui.

Após imbróglios diplomáticos, segundo a agência Reuters, a Índia aprovou a exportação das doses de vacinas compradas pelo governo federal, e as entregas serão realizadas a partir de sexta-feira.

As doses em questão são da vacina desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford e produzidas no Instituto Serum.

Elas foram pivô de um desentendimento, quando o governo federal chegou a adesivar um avião para buscar as doses na Ásia, mas antes da decolagem chegou a informação de que as vacinas ainda não estavam liberadas para exportação.