EnglishPortugueseSpanish

Uma empresa francesa chamada ThrustMe anunciou recentemente que testou com sucesso um novo tipo de propulsor baseado em iodo para satélites de pequeno porte (Cubesats). A tecnologia promete estender a vida útil destes satélites e até mesmo reduzir a quantidade de lixo espacial ao redor do planeta.

Cubesats são satélites compostos por um ou mais módulos cúbicos com 10 cm de lado e no máximo 1,3 kg cada. Eles podem ser usados para observação do planeta, para telecomunicações (radioamadorismo, por exemplo) e como plataforma de testes de ideias e projetos que não justificam o custo ou não necessitam de um satélite tradicional.

publicidade

Devido ao seu tamanho diminuto, eles não têm propulsão própria. Isso significa ser impossível corrigir um erro de órbita após um lançamento, ou alterá-la para que possam cumprir uma nova missão.

Além disso, a falta de propulsores significa que ao fim de sua vida útil os Cubesats são condenados a ficar vagando pelo espaço por décadas como lixo espacial, algo que pode colocar em risco outros satélites e até missões tripuladas. Satélites maiores, com propulsores, podem ser direcionados para nosso planeta e se desintegram durante a reentrada na atmosfera.

O SpaceTy Beihangkongshi-1 é o primeiro Cubesat equipado com o propulsor da ThrustMe. Imagem: ThrustMe

O sistema da ThrustMe, chamado NPT30-I2, é simples, pequeno e barato o suficiente para ser usado em um CubeSat. O iodo não é tóxico e é sólido à temperatura ambiente, mas sublima (se torna gás sem passar pelo estado líquido) quando aquecido lentamente.

Além disso, ocupa menos espaço que o combustível tradicionalmente usado em propulsores, algo crítico em um satélite onde cada milímetro de espaço é importante. Segundo a ThrustMe, uma vantagem de seu produto é que módulos de propulsão podem ser entregues “pré-abastecidos” a seus clientes, simplificando sua integração.

publicidade

A tecnologia foi embarcada em um satélite comercial chamado SpaceTy Beihangkongshi-1, lançado em novembro de 2020, e testada recentemente pela ThrustMe em duas “queimas” de 90 minutos que resultaram em uma mudança de altitude de 700 metros.

O NPT30-I2 já está sendo oferecido comercialmente pela ThrustMe, na forma de módulos com 1U ou 1.5U (sendo 1U o tamanho de um CubeSat básico com 10 cm de lado). Preço não foi informado.

Fonte: Slashgear