EnglishPortugueseSpanish

Os aplicativos Google para iOS, como o Maps e o YouTube, deixarão de usar dados de terceiros para personalizar anúncios para os usuários – o que deve se refletir numa queda no faturamento dessas companhias. A medida, que visa driblar as novas regras de privacidade da Apple, foi anunciada numa postagem no blog da empresa.

“As mudanças na ATT da Apple reduzirão a visibilidade das principais métricas que mostram como os anúncios geram conversões (como instalações e vendas de aplicativos) e afetarão como os anunciantes precificam impressões de anúncios”, explicou o gerente de produtos do Google Ads, Christophe Combette. “Dessa forma, os anunciantes de aplicativos podem ter um impacto significativo em sua receita de anúncios do Google no iOS depois que as políticas entrarem em vigor”, completou.

publicidade

Combette se refere ao App Tracking Transparency (ATT), um recurso que exigirá uma notificação pop-up dizendo que o software “gostaria de permissão para rastreá-lo em aplicativos e sites de propriedade de outras empresas”. O plano da Apple é ajudar os usuários a entender as regras de privacidade de um aplicativo antes de baixá-lo em qualquer plataforma da empresa.

Para isso, a página de cada app exibirá informações sobre como os dados dos usuários são coletados. Além disso, outra medida de segurança adotada a partir de agora pela empresa é a de remover aplicativos que não fornecerem aos usuários uma indicação clara de que podem rastreá-los enquanto usam outros apps.

Tela de permissão antes que um app possa rastrear usuários ao exibir anúncios no iOS 14.
Alerta que será mostrado quando um app tentar rastrear um usuário no iOS 14. Imagem: Apple/Divulgação

Por muito tempo, a Apple forneceu aos aplicativos um identificador exclusivo, conhecido como “Identifier for Advertisers” (IDFA), que permitia que fabricantes de apps e redes de anúncios sigam as atividades do usuário, usando seus dados para direcionamento de produtos. Mas agora, a empresa exigirá que os aplicativos mostrem aos usuários uma mensagem pop-up para obter seu consentimento para acessar seu IDFA.

Facebook, Google e outras empresas que faturam (muito) com propaganda temem que o aviso possa desencorajar usuários a optar pelo rastreamento, e assim prejudicar as vendas de anúncios. Como os usuários dos aplicativos Google normalmente estão logados, em suas contas da empresa, ela tem uma alternativa de rastreamento ao IDFA.

publicidade

Mas apesar de ver seu negócio publicidade escapando de ser afetado pelas mudanças da Apple, o Google alertou que publishers e anunciantes parceiros terão resultados mais fracos sem acesso ao IDFA. De acordo com Eric Seufert, especialista em aquisição de usuários, o Facebook pode sofrer um impacto de 7% na receita – uma perda de dezenas de bilhões de dólares – como resultado das mudanças.

O Facebook disse no mês passado que planeja exibir o pop-up para solicitar o consentimento dos usuários. “A Apple deixou claro que, se não usarmos a solicitação, eles bloquearão o Facebook da App Store, o que prejudicaria ainda mais as pessoas e empresas que dependem de nossos serviços todos os meses”, disse a empresa em um comunicado.

Tela da App Store
Aplicativos que não cumprirem as novas regras da Apple serão retiradas da App Store a partir de 2021. Imagem: ParampreetChanana/Pixabay

As mudanças na ATT da Apple serão integradas ao iOS 14 até o “início de 2021”, que os analistas acreditam significar o mês de março. Para ajudar a melhorar as taxas de monetização do iOS, Combette aconselhou que os desenvolvedores devem atualizar para a versão 7.64 do Google Mobile Ads SDK para novos recursos como SKAdNetwork, que é o substituto da Apple para anúncios IDFA direcionados.

“Também encorajamos os anunciantes a monitorar o desempenho e a entrega de todas as campanhas de aplicativos iOS e, se necessário, fazer ajustes nos orçamentos para atingir seus objetivos”, completa o executivo do Google.

Via: VentureBeat/Reuters