Elon Musk, o CEO da Tesla e SpaceX, tuitou na madrugada desta terça-feira (2) que deixará o Twitter por tempo indeterminado. Apesar de não mencionar os motivos para tal decisão, esta é a segunda vez que Musk anuncia sua “saída” da plataforma. Em 2019, ele prometeu “ficar offline” em pelo menos duas ocasiões, além de publicar tuítes mais “brigões” contra a própria rede social.

No anúncio de hoje, Musk simplesmente disse: “Fora do Twitter por um tempo”, em postagem publicada em seu perfil às 5h45 da manhã (horário de Brasília) – ou entre meia-noite e uma da manhã na Califórnia, onde ele mora.

publicidade

Elon Musk x Twitter

A relação de Elon Musk com o Twitter é de amor e ódio. Por um lado, é fato que o segundo homem mais rico do mundo ama “tuitar”, mas por outro, essa vontade de postar na rede social já lhe causou muitos problemas.

Em 2018, ele disse que queria fechar novamente o capital da Tesla – retirando a empresa da Bolsa de Valores -, com oferta de ações em US$ 420. O número foi uma referência à maconha (“4/20”, “420” ou simplesmente a data de 20 de abril são referências a um “Dia da Maconha” na cultura “canábica”). Esse tuíte levou a uma extensa investigação pela Comissão de Valores dos Estados Unidos (SEC) e multas milionárias.

No mesmo ano, Musk referiu-se a um explorador de cavernas britânico como “pedo guy”, insinuando que o homem fosse um pedófilo. Ele enfrentou – e, inexplicavelmente, ganhou – um processo por difamação, escapando de uma indenização mesmo após ficar comprovado que o homem em questão não era, de fato, um criminoso do tipo.

Mais recentemente, o bilionário conseguiu, com apenas uma palavra, bagunçar o setor econômico ao postar em sua biografia a hashtag “#bitcoin”. Na semana seguinte, o valor da moeda subiu 14%. Ainda que a criptomoeda já tenha caído aos seus níveis mais normais de valoração, a volatilidade dela responder a uma única postagem é algo de se notar.

elon musk twitter
Depois de acumular polêmicas na rede social, Elon Musk, anuncia que vai “dar um tempo” do Twitter. Imagem: vasilis asvestas/Shutterstock

Outro “efeito Musk” recente causado pelo CEO foi o aumento da base de usuários do Signal, o app de mensagens que concorre com o WhatsApp e o Telegram. Depois de postar críticas ferrenhas ao Facebook – dono do WhatsApp -, o executivo encorajou seus quase 50 milhões de seguidores a baixarem o Signal. Resultado: 1,3 milhão de novos usuários em apenas um dia, sendo que a média normal era de 50 mil downloads.

E agora, aparentemente, o homem quer um tempo longe de tudo isso. Como dissemos, Musk não explicou os motivos para deixar – de novo – o Twitter. Mas dado o seu histórico polêmico, vale especularmos: por quanto tempo ele conseguirá manter essa promessa?

Fonte: Elon Musk / Mashable