EnglishPortugueseSpanish

A caminho de Marte desde julho de 2020, a sonda chinesa Tianwen-1 está próxima de entrar na órbita do planeta. De acordo com informações da Administração Nacional do Espaço da China (CSNA), divulgadas nesta sexta-feira (5), o rover chinês iniciará manobras de desaceleração por volta de 10 de fevereiro, até ser captado pela gravidade do planeta vermelho.

A movimentação antecederá a aterrisagem do rover e, embora o Tianwen-1 tenha feito três manobras para correção de trajetória no caminho, esta será crucial para o sucesso da missão. Segundo Bao Weimin, diretor da Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China, se a sonda chinesa falhar durante a desaceleração, o Tianwen-1 será perdido no Sistema Solar, o que vai arruinar a primeira missão chinesa rumo a Marte.

publicidade

“Durante a operação, os sistemas de orientação, navegação e controle desempenharão os papéis principais, pois serão responsáveis por calcular e ajustar cada manobra”, aponta Bao.

Tianwen-1, da China
Sonda chinesa Tianwen-1 está cada vez mais próxima de chegar a Marte. Foto: CSNA/Divulgação

Por outro lado, se a manobra para entrar na órbita do planeta for bem-sucedida, a sonda chinesa deve iniciar a tentativa de pouso — programada para maio deste ano. O alvo preestabelecido para a aterrisagem é a planície Utopia, no hemisfério norte de Marte.

No Espaço há quase 24 semanas, o rover chinês já percorreu mais de 300 milhões de quilômetros e, segundo a agência espacial chinesa, estava a “apenas” 8,3 milhões de quilômetros do planeta vermelho em 3 de janeiro.

Objetivos do Tianwen-1 em Marte

Uma vez em solo marciano, o rover chinês deve investigar as características da superfície (como morfologia, geologia e minerais encontrados). Para verificar a distribuição potencial de água-gelo, o veículo vai usar o Radar de Exploração de Subsuperfície.

publicidade

Além disso, o Tianwen-1 analisará o clima, o ambiente e o campo magnético de Marte. A sonda deve se juntar ao rover Perseverance Mars 2020, da Nasa, e ao orbital Hope Mars, dos Emirados Árabes Unidos, que devem chegar ao planeta vermelho ainda em fevereiro.

Via: Agência Brasil