EnglishPortugueseSpanish

A pandemia do coronavírus mudou diversas coisas em todo o mundo e algumas podem nunca mais voltar ao normal. Todos sabemos que já foi comprovado cientificamente que a melhor maneira para evitar a contaminação da covid-19 é o distanciamento social, o que afetou diretamente as relações interpessoais. Você já pensou como serão os relacionamentos pós-pandemia?

Todo tipo de relação foi afetada durante este turbulento momento da sociedade. O home office ganhou força, assim como as modalidades de ensino a distância, o que transformou a nossa convivência com terceiros ainda mais cibernética e tecnológica.

publicidade

Reuniões por aplicativo e troca de mensagens online são as principais maneiras que encontramos para continuar a nos relacionar. Mas com certeza, a coisa mais esperada mundialmente é o fim da pandemia, para que possamos voltar a conviver. Porém, é impossível prever como essa convivência acontecerá no pós-pandemia.

Pensando neste problema, o aplicativo de namoros Hinge promoveu um estudo que afirma que muitos jovens adultos sofrerão com um problema chamado “F.O.D.A.”, a sigla de “Fear of dating again”, que em tradução livre significa “Medo de voltar a namorar”.

O estudo do app aponta que os relacionamentos pós-pandemia serão mais complicados, seja pelo medo de contrair a doença ou pela falta de prática no ato de flertar, além disso, o uso do termo “F.O.D.A.” deve crescer cada vez mais neste 2021.

Logan Ury, diretor de ciência dos relacionamentos do Hinge, afirmou que compartilhar o sentimento de nervosismo com o futuro parceiro tende a tornar as coisas mais leves e relaxadas. “Não se preocupe se você não tiver a faísca inicial com alguém no primeiro encontro. Algumas das melhores conexões vêm com o tempo”, completou Ury.

publicidade

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!