EnglishPortugueseSpanish

A SpaceX afirmou em um documento oficial que a rede Starlink já possui mais de 10 mil usuários nos Estados Unidos e em outros países. O projeto, que quer fornecer internet de alta velocidade para qualquer lugar do mundo, conta com mais de mil satélites em órbita.

A empresa aeroespacial de Elon Musk lançou seu beta público em outubro. No processo, precisou enviar uma petição à Federal Communications Commission para se qualificar para receber investimentos do governo federal dos EUA.

publicidade

No documento, a SpaceX disse que “mais de 10.000 usuários nos Estados Unidos e no exterior estão usando o serviço hoje”. A empresa pede à FCC para ser designada como uma “operadora de telecomunicações elegível” para receber verbas federais, incluindo o dinheiro do Fundo de Oportunidade Digital Rural da FCC – um programa de US$ 20,4 bilhões para disseminar a Internet de alta velocidade nas regiões rurais dos EUA.

Lançamento de satélites Starlink. Imagem: SpaceX/Divulgação

Em dezembro, a FCC concedeu à SpaceX quase US$ 900 milhões para expandir a Starlink como parte da primeira fase do programa. Mas para receber o dinheiro, a empresa precisa ser reconhecida como uma operadora de telecomunicações. A Starlink opera no norte dos Estados Unidos, Canadá e partes da Europa.

“O desempenho do Starlink não é teórico ou experimental … [e] está acelerando rapidamente como parte de seu programa beta público”, escreveu a SpaceX no documento. O acesso custa US$ 99 por mês – além de US$ 499 por um kit com um tripé, um roteador WiFi e um terminal para conexão com os satélites. A SpaceX disse em um e-mail aos assinantes quando o beta foi lançado que as velocidades variariam de 50 a 150 megabits por segundo.

A FCC aprovou há dois anos o plano da SpaceX para lançar 11.943 satélites para alimentar a rede. A empresa tem como objetivo implantar 4.425 satélites em órbita até 2024.

publicidade

Via: Business Insider