Um relatório confidencial da Organização das Nações Unidas (ONU) revelou que hackers da Coreia do Norte roubaram centenas de milhões de dólares no ano passado para financiar os programas de mísseis nucleares e balísticos do país. A ação, que viola leis internacionais, teria cooperação do Irã.

O documento acusa o regime do líder Kim Jong Un de conduzir “operações contra instituições financeiras e casas de câmbio virtuais” para pagar pelas armas e manter a economia da Coreia do Norte. Cerca de US$ 316,4 milhões de dólares (R$ 1,7 bilhão pela cotação atual) em ativos virtuais teriam sido roubados pelos cibercriminosos do estado.

publicidade

Com o dinheiro ilegal, a Coreia do Norte “produziu material físsil, manteve instalações nucleares e atualizou sua infraestrutura de mísseis balísticos” enquanto continuava “a buscar material e tecnologia para esses programas no exterior”. O relatório é composto por informações recebidas de países membros da ONU, agências de inteligência, mídia e pessoas que fogem do país – nada vem oficialmente da própria Coreia do Norte.

Ditador Kim Jong Un frequentemente recorre a hackers para atacar países adversários. Imagem: Alexander Khitrov/Shutterstock

Devastado por tempestades recentes, sanções punitivas e pelos rígidos controles de fronteira impostos pela pandemia de Covid-19, o país pode estar contando ainda mais com seus hackers para gerar receita, de acordo com especialistas. A Coreia do Norte e o Irã ainda voltaram a cooperar em projetos de desenvolvimento de mísseis de longo alcance, incluindo o comércio de peças críticas necessárias para desenvolver essas armas.

Para os investigadores da ONU, é “altamente provável” que a Coreia do Norte possa montar um dispositivo nuclear em um míssil balístico de qualquer alcance, mas ainda não está claro se esses mísseis conseguirão reentrar na atmosfera terrestre.

O regime de Kim Jong Un testou com sucesso três mísseis balísticos de alcance intercontinental (ICBM) em 2017 e exibiu um novo ICBM gigantesco em um evento público em outubro passado. No Oriente Médio, o avanço do Irã em seu programa nuclear é um importante ponto de inflamação nas disputas de longa data de Teerã com vários vizinhos árabes e os Estados Unidos.

Via: CNN