EnglishPortugueseSpanish

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC — formado por São Bernardo do Campo, Santo André, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra — assinou nesta quarta-feira (10) um protocolo de intenção de adquirir 150 mil doses da vacina russa Sputnik V. A fórmula tem eficácia global de 91,6% contra a Covid-19.

O compromisso foi firmado após a visita técnica dos prefeitos à sede da União Química, que detém um acordo com o Instituto Gamaleya, criador do imunizante, para a transferência de tecnologia. O laboratório será responsável pela produção da substância em território brasileiro e deve intermediar a compra das cidades do ABC paulista.

publicidade

Além do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, a prefeitura de Guarulhos, em SP, também já declarou seu interesse de comprar doses do imunizante russo.

Cidades do ABC, em São Paulo, estão interessadas em comprar doses da Sputnik V. Foto: Sputnik V/Divulgação

“Corrida” pela Sputnik V

O governador da Bahia, Rui Costa, afirmou em janeiro que tem um acordo de cooperação com a fabricante da Sputnik V para receber até 50 milhões de doses da vacina. O objetivo do Estado é negociar a compra da substância sem intermediação do governo federal.

O próprio governo federal está interessado no imunizante. Desde o início de fevereiro, o Ministério da Saúde negocia a compra de dez milhões de doses da fórmula — e o acordo já avançou em reunião na semana passada, em Brasília.

Agora, todas essas negociações dependem da liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que a vacina possa ser usada em caráter emergencial no país. Isso ficou mais fácil desde que o órgão eliminou a necessidade de que estudos clínicos de fase três em humanos sejam realizados no Brasil.

publicidade

A boa notícia é que a União Química aguarda apenas o aval da agência para iniciar a produção da fórmula. Segundo o laboratório, suas instalações têm capacidade para fabricar 150 milhões de doses de Sputnik V até o fim de 2021.

Via: UOL