Demorou, mas aconteceu: uma firma de advocacia moveu uma ação judicial de classe contra a Sony, em relação ao problema de “drift” no DualSense, o controle do PlayStation 5. Recentemente, alguns internautas vêm reportando o problema no acessório em diversos fóruns online, mas este é o primeiro caso que rendeu uma ação contra a fabricante japonesa na justiça.

De acordo com uma cópia da ação, o escritório Chimicles Schwartz Kriner & Donaldson-Smith (CSK&D) moveu o processo contra a Sony na corte de Nova York, em 12 de fevereiro. Nela, a empresa afirma que o DualSense vem com defeito já na fabricação, e que a Sony oferece “poucas opções” para usuários que sofram do problema.

publicidade

O “drift”, basicamente, consiste na inserção aleatória de comandos nas alavancas analógicas dos controles – e é muito comum em outro console japonês, o Nintendo Switch.

A imagem abaixo mostra como é o problema:

Sony drift dualsense
Problema de “drift” no DualSense faz com que controle do PlayStation 5 insira comandos sem ordem do usuário. Imagem: Error404/YouTube

De modo geral, uma “ação judicial de classe” refere-se a um processo em que uma firma de advocacia representa uma parcela maior de pessoas, ao invés do tradicional panorama no qual um indivíduo processa outro, ou duas empresas se atacam entre si. A ideia é pegar todo um recorte populacional e juntá-lo na mesma ação, exigindo uma indenização maior que o de costume e dividindo os ganhos pelo número de reclamantes. Por exemplo: se uma ação de classe com 100 pessoas pede indenização de R$ 100 mil, então serão R$ 1.000 para cada pessoa.

“A Sony está – e o tem estado em todas as horas pertinentes – ciente do defeito de ‘drift’ por meio de reclamações de usuários feitas online, diretamente a ela, e também por meio de seus próprios testes pré-lançamento”, diz a CSK&D na documentação do processo. “Como resultado das práticas de negócios injustas, enganosas e/ou fraudulentas da Sony, proprietários dos controles DualSense têm sofrido uma perda considerável, inclusive danosa”.

A Sony levar um processo pelo “drift” do DualSense não é algo inédito na história da CSK&D. A firma de advocacia tornou-se conhecida ao mover o primeiro processo relacionado ao “drift” dos Joy-Cons, os controles do Nintendo Switch, em 2019. Este caso ainda se encontra em julgamento, mas já rendeu um pedido de desculpas (e diversas ações de controle de danos) por parte da Nintendo. Recentemente, porém, a empresa que serve de casa para o “Super Mario” levou outro processo sobre este mesmo problema.

Fonte: Destructoid