EnglishPortugueseSpanish

A Amazon Web Services – divisão de computação em nuvem da Amazon –  decidiu presentear novos clientes de sua ferramenta voltada para trabalho remoto, Amazon WorkSpaces. Até o dia 31 de julho, o serviço de desktop na nuvem poderá ser utilizado gratuitamente por novos usuários. Uma mão na roda em tempos de home office.

A oferta inclui o uso de até 50 Windows Standard WorkSpaces, além de uma série de outros pacotes padrão ou desempenho para Windows e Linux. Também está incluso o Amazon WorkSpaces Streaming Protocol (WSP), protocolo de streaming nativo em nuvem que permite uma experiência de usuário consistente, inclusive em redes pouco confiáveis.

publicidade

O Amazon WorkSpaces permite acessar a sua área de trabalho de qualquer lugar e de qualquer dispositivo – computadores Windows e Mac, Chromebooks, iPads, tablets Fire e Android, além dos navegadores Chrome e Firefox.

pessoa com computador no colo e acessórios em volta
Amazon Workspaces permite acessar seu desktop de qualquer lugar e dispositivo. Imagem: Shutterstock

É uma opção na nuvem que pode ser usada por funcionários contratados ou temporários; alunos e professores; além das equipes de backoffice, central de atendimento e administrativas. 

Por falar em trabalho, a Amazon está com 224 vagas abertas no país, nas áreas de vendas, marketing, finanças, TI e mais. É possível trabalhar em diferentes escritórios da empresa, sobretudo em São Paulo.

Serviço de computação quântica

O Braket, mais recente produto anunciado e gerenciado pela Amazon Web Services, é bastante interessante para desenvolvedores. O serviço permite explorar novos algoritmos quânticos. 

publicidade

Usuários do Braket podem analisar algoritmos para solucionar problemas. O processo é realizado por meio de uma simulação de computadores quânticos na nuvem e por processadores quânticos D-Wave, IonQ e Rigetti.  

“Nosso objetivo para o Amazon Braket deve ser um catalisador de inovação em toda a comunidade quântica, reunindo desenvolvedores de hardware e software, pesquisadores e usuários finais”, declarou Bill Vass, vice-presidente de tecnologia da AWS.

Via: AWS